Bié: Desminados 250 hectares no pólo industrial do Cunje

Bié: Minas e engenhos explosivos não detonados (Foto: Bartolomeu)

Cuito – Duzentos e cinquenta, dos mil 900 hectares no pólo industrial da comuna do Cunje, encontra-se totalmente desminados, asseverou hoje, segunda-feira, a administradora comunal daquela circunscrição, Alzira Beth Cuayanga.

Bié: Minas e engenhos explosivos não detonados (Foto: Bartolomeu)
Bié: Minas e engenhos explosivos não detonados (Foto: Bartolomeu)

Com a desminagem do pólo industrial do Cunje, que por sinal foi uma zona militar, permitirá que o Governo e a classe empresarial efectuem investimentos, com intuito de alavancar o desenvolvimento socioeconómico da região e das famílias em particular.

A desminagem vai ainda reduzir os acidentes com minas as populações que socorrem-se no local, na busca de lenhas e outros que insistem em erguer suas moradias no mesmo espaço do futuro pólo industrial.

Reafirmou ainda que, o pólo terá cerca de 40 unidades industriais e enquadra-se no âmbito do programa do Governo Central que visa a construção de novas unidades industriais ao nível do país.

No local, serão colocadas unidades industriais, tais como fábrica de processamento, transformação e conservação de horto-frutícolas, cerâmica de barro vermelha, descasque, branqueamento, embalagem de arroz, fechadura e ladrilhos.

Terá ainda, fábrica de explosivos, mosaicos, chapas de zinco e caixilharia de alumínio, carpintaria de madeira de maciça, instrumento de apoio a agricultura, moageira de milho, louça de alumínio, confecções, gráfica, bem como recauchutagem.

Serão igualmente instaladas, disse a fonte, fábricas de engarrafamento de água mineral, montagem de motorizada e bicicletas, chocolates, derivados de plásticos, massas alimentares, sumos de frutas, panificação, entre outras unidades industriais.

O pólo industrial será instalado numa área de 25 hectares, vai criar mil postos de trabalho directos, e está orçado em 25 milhões de dólares americanos.

Doze mil 970 minas e engenhos explosivos não detonados foram destruídos este mês, no município de Cunhinga, 30 quilómetros a Norte da cidade do Cuito, província do Bié.

Dos engenhos explosivos removidos e destruídos constam 37 minas anti-pessoal, 36 minas anti-tanque, 24 armas ligeiras (AKM) em estado obsoleto, mil 110 engenhos explosivos não detonados e 11 mil 763 munições de diversos calibres.

As minas e outros engenhos explosivos foram removidos nas reservas fundiárias de Caluapanda, no perímetro do pólo industrial do Cunje (município do Cuito), barragem hidroeléctica do município de Camacupa, bem como na reserva fundiária de Cunhinga. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA