Benguela: Mais de cinco mil pessoas marcham em homenagem ao herói Nacional

População marcha em homenagem ao Herói Nacional (Foto: Gentileza de Pedro da Ressureição)
População marcha em homenagem ao Herói Nacional (Foto: Gentileza de Pedro da Ressureição)
População marcha em homenagem ao Herói Nacional (Foto: Gentileza de Pedro da Ressureição)

Mais de cinco mil cidadãos marcharam quinta-feira pelas artérias da cidade de Benguela, para honrar os feitos do primeiro presidente da República de Angola, o médico e poeta António Agostinho Neto.

A marcha que partiu do largo de África percorreu a Avenida Dr. António Agostinho Neto, Rua de Angola, Avenida Fausto Frazão e Sacadura Cabral e terminou na praça 1º de Maio, com uma mensagem política proferida pelo Governador provincial, Isaac dos Anjos.

Na ocasião, Isaac dos Anjos referiu que a união de todos os angolanos de Cabinda ao Cunene é importante para a consolidação da democracia e do desenvolvimento da província e do país.

Marcharam em celebração a Neto autoridades tradicionais, membros do governo provincial, magistrados, partidos políticos, professores, estudantes, entre outros cidadãos.

No municipio da Ganda (Benguela), o acto do Dia do herói Nacional foi marcado com animações, danças típicas tradicionais e poesias apresentadas por grupos juvenis “Nzinga Mbandy e Adultos de Mungoma”.

No acto que decorreu na povoação do Chivole, o administrador da Ganda, António Kapewa Kalianguila, realçou a figura de Agostinho Neto, que desde muito cedo assumiu ideais sobre necessidade de luta de libertação do seu povo sob dominação colonial.

“Neto muito cedo partiu para ideais da luta política clandestina que evoluiu para algumas reacções que deram lugar a acção armada até à conquista da independência nacional”, disse.

Filho de uma família humilde, Neto, natural de Caxicana, Icolo Bengo, defendeu os interesses de servir o seu povo, e com a sua formação em medicina cuidou pessoas mais desfavorecidas em Angola na altura.

Realçou que o legado deixado pelo presidente Neto, que “o mais importante é resolver os problemas do povo”, deve constituir para novas gerações um instrumento para elevação da formação, caminhando no sentido do progresso do país. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA