Assinado acordo para a reabilitação

( Foto: Angop)

Um acordo de cooperação que visa a recuperação, preservação e divulgação dos monumentos e sítios históricos localizados no Corredor do Cuanza, foi assinado no fim-de-semana pelo Ministério da Cultura, o Governo do Cuanza Norte, o Gabinete de Aproveitamento do Médio Cuanza (Gamek) e a Odebrechet.

  ( Foto:  Angop)
( Foto:Angop)

O acordo estabelece que o Ministério da Cultura e o Governo do Cuanza Norte têm a responsabilidade de fornecer informações escritas, cartográficas e fotográficas, bem como aprovar, coordenar e acompanhar as acções visando a identificação do património histórico, arquitectónico, arqueológico e cultural existente na região de Lauca.
Devem também identificar, documentar e proteger os bens culturais catalogados, bem como desenvolver trabalhos de investigação dos bens patrimoniais e tornar público os seus resultados.

O acordo foi assinado no âmbito da realização da 6ª edição da Feira do Dondo, que encerrou ontem na sede do município de Cambambe.
Numa antevisão dos futuros resultados do acordo, a Fortaleza de Cambambe, um monumento histórico e cultural, está a ser reabilitada, numa acção conjunta do Ministério da Cultura e da empresa brasileira Odebrechet.
Esta fortificação foi erguida pelo exército português em 1604, como ponto de apoio avançado à penetração e conquista do interior do território angolano pela via do rio Cuanza, o maior do país.

Além de materializar a presença militar portuguesa, a fortaleza tornou-se num entreposto de mercadorias e de escravos capturados na região, onde aguardavam a sua transferência para o continente americano.
As ruínas de Cambambe foram classificadas como Monumento Nacional, através do Decreto Provincial n.° 67, de 30 de Maio de 1925, na era do domínio colonial português. (Jornal de Angola)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA