Apesar de “tropelias” e “erros”, Costa é “o mais apto” para governar

(D.R)

António Capucho diz-se cético em relação às sondagens, mas não tem dúvidas de que o próximo Governo não conseguirá alcançar uma maioria absoluta.

(D.R)
(D.R)

A coligação concorre às legislativas “coesa”, o PS “o contrário”, mas é em António Costa que António Capucho deposita o seu apoio.

O secretário-geral socialista “é de longe o mais apto para a função de primeiro-ministro e de longe o único que tem um programa credível”, considera apontou. Contudo, várias falhas na campanha socialista e “feridas por sarar”.

Se por um lado a polémica dos cartazes e a forma como Costa manifestou o seu apoio a Sampaio da Nóvoa foram apelidados de “tropelias”, “radicalizar a mensagem” foi considerado um “erro de fundo”.

Para o social-democrata, em vez de procurar o voto útil à esquerda Costa devia ter apontado à “massa muito significativa de indecisos que estão no centro do espetro político”, que procura estabilidade.

Afirmando que ainda é cedo para discutir o assunto, Capucho admite que, se o PS perder, “é natural que exista uma reação interna com o objetivo de mudar a liderança” do partido. (noticiasaominuto.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA