Angola representada na 59ª sessão da Conferência Geral da AIEA

Ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges (Foto: Angop/Arquivo)
Ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges (Foto: Angop/Arquivo)
Ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges (Foto: Angop/Arquivo)

O ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges, chefia uma delegação angolana que participa desde hoje, segunda-feira, em Viena de Áustria, na 59ª Sessão da Conferência Geral da (AIEA) -Agência Internacional de Energia Atómica, que decorre de 14 a 18 de Setembro de 2015.

Na sua intervenção durante o primeiro dia da Conferência, indica uma nota do Ministério da Energia e Águas, a que à Angop teve acesso hoje, segunda-feira, o governante angolano ressaltou os benefícios que se registam no país, como resultado da assistência técnica da AIEA, em particular na área da oncologia, que tem permitido ao Executivo realizar melhor prestação na assistência médica aos angolanos pelo Instituto Nacional de Oncologia em Luanda, e reduzir gastos com a evacuação de doentes para o exterior.

O responsável angolano considera que o Programa de Acção para Terapia do Cancro-PACT é um importante mecanismo que possibilita aos Estados-membros apresentar, alargar e melhorar as suas capacidades de controlo pela integração da medicina de radiação em Programas Nacionais de Controlo do Cancro de modo global e no desenvolvimento das capacidades e infra-estruturas necessárias ao diagnóstico e tratamento seguro do cancro e saúda a participação da Agência na 9ª. Conferência para as Primeiras Damas de África “Fim do Cancro Cervical, da Mama e da Próstataem África”-SCCA, realizada em Julho de 2015, em Nairobi-Quénia.

O país considera importante e urgente a transferência da propriedade e funcionamento da Universidade Virtual para o Controlo do Cancro-VUCCnet para a região de África e a sua réplica em outras regiões e incentiva a divisão do PACT a procurar parcerias e mobilizar recursos para o financiamento dos projectos de Cooperação Técnica relacionados com o cancro

João Baptista Borges enfatizou também os resultados da assistência técnica da AIEA, para o controlo de pragas na agricultura e vacinação de gado, ressaltando a necessidade de um maior empenho para que se alcance melhores resultados nos projectos em curso nestas especialidades.

O ministro da Energia e Águas informou, por outro lado, aos congressistas que o Executivo angolano enfrenta dificuldades para a resolução da distribuição de água nas áreas desérticas do país, bem como de problemas dos solos com a formação de ravinas noutras províncias, como prioridades o Executivo apresentará para a inclusão no próximo Programa de Assistência Técnica da AIEA a Angola (CPF) com vista a solução de tais problemas.

“Em relação a Campanha Pan-Africana para a Erradicação da Mosca Tsé-Tsé e da Triponossomíase apoiamos a cooperação entre o Secretariado e a União Africana, a qual permitiu a tomada de consciência com vista a erradicação da mosca tsé-tsé e da triponossomíase em África, através das Técnicas de Insecto Estéril, sendo Angola também uma das zonas endémicas”, precisou.

Por último, o governante felicitou a assinatura do Acordo de Viena entre o Irão e 5+1 (Estados Unidos, Reino Unido, Rússia, China, França e Alemanha), solução diplomática para o desanuviamento da situação no Médio Oriente e alcance da paz regional e internacional.

A delegação angolana à Conferência Geral da Agência de Internacional de Energia Atómica, chefiada pelo ministro da Energia e águas, João Baptista Borges, integra também o Almirante Rufino Gaspar, Secretário de Estado da Defesa, Embaixadora e Representante Permanente junto da AIEA, Maria de Jesus Ferreira, e altos funcionários do Ministério da Energia e Águas, Ministério da Defesa e diplomatas da Missão Permanente acreditada em Viena. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA