Angola e EUA discutem parceria para a operacionalização da força africana em estado de alerta

Vice-presidente da república,Manuel Vicente,recebe enviado especial do presidente Barack Obama (Foto: Pedro Parente)
Vice-presidente da república,Manuel Vicente,recebe enviado especial do presidente Barack Obama (Foto: Pedro Parente)
Vice-presidente da república,Manuel Vicente,recebe enviado especial do presidente Barack Obama (Foto: Pedro Parente)

A participação angolana na operacionalização da força africana de manutenção da paz foi discutida hoje, quinta-feira, em Luanda, num encontro entre o Vice-presidente da República de Angola, Manuel Domingos Vicente, e Princeton Lyman, enviado do Presidente americano.

Em declarações à imprensa, o enviado do Presidente Barak Obama disse que foi discutida a cooperação a prestar no quadro da cooperação entre a Organização das Nações Unidas (ONU) e a União Africana (UA) para a garantia da paz e estabilidade em África, dada a sua experiência.

Segundo Princeton Lyman, que em Luanda iniciou um périplo que o levará a vários países, “Angola é um parceiro muito importante para a garantia da paz no continente”.

Disse que discutiu com as autoridades angolanas questões relacionadas com a criação de um Gabinete de Manutenção de Paz, no quadro da parceria entre as Nações Unidas e a União Africana.

Lembrou que aquando da visita do Presidente Obama ao continente africano, em Junho, foi discutida a possibilidade de financiar de uma forma mais sustentável a criação dessa força de Manutenção de Paz, e a sua operacionalização.

Defende o estreitamento das relações entre a ONU e a UA facilitar a criação de um mecanismo capaz de financiar a Força de Manutenção de Paz da União Africana.

O enviado americano espera que a questão seja debatida durante a abertura dos debates da Assembleia Geral das Nações Unidas que decorre no final deste mês, em Nova York.

Para o também conselheiro do estadista americano, “Angola como sabem é membro do Conselho Paz e de Segurança da União Africana e como tal tem um forte papel na liderança de iniciativas relacionadas com os esforços de paz e estabilidade ao nível do continente”.

Desse ponto de vista, adianta, entendemos que pode dar o seu contributo à posição da UA que pretende criar uma proposta muito forte para conseguir o financiamento das Nações Unidas.

O Embaixador Princeton Lyman foi designado a 24 de Agosto passado conselheiro do Presidente Barak Obama para dar seguimento ao desenvolvimento de uma nova parceria entre as Nações Unidas e a União Africana (UA) em operações para paz e estabilidade. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA