Angola compra fardamento e outro equipamento militar à China por 40 milhões de euros

(Foto: D.R.)
(Foto: D.R.)
(Foto: D.R.)

Angola prevê gastar este ano 847,3 mil milhões de kwanzas (mais de 5,5 mil milhões de euros) na Defesa, Segurança e Ordem Pública.

Angola vai comprar fardamento e outro equipamento militar no valor de 44,6 milhões de dólares (quase 40 milhões de euros) a uma empresa chinesa, segundo um despacho do Presidente angolano, a que a Lusa teve hoje acesso.

De acordo com o documento que autoriza a compra, de 15 de setembro, o negócio envolve a China Xinxing and Export Corporation, que segundo informação da própria empresa conta com 180.000 trabalhadores e mais de 50 subsidiárias da área militar, como fábricas de vestuário, calçado e proteção individual.

A empresa chinesa refere ter negócios com 40 países africanos, para onde vende anualmente mais de 100 milhões de dólares em equipamentos.

No despacho assinado pelo Presidente José Eduardo dos Santos é autorizada a inclusão deste projeto de Fornecimento de Fardamento e Equipamento de Uso Militar para as Forças Armadas Angolanas na Programação Anual de Investimento Público (PIP) e assinatura do contrato com a empresa chinesa pelo ministro da Defesa, João Lourenço.

Os três ramos das Forças Armadas Angolanas integram atualmente cerca de 100.000 militares.

Angola prevê gastar este ano 847,3 mil milhões de kwanzas (mais de 5,5 mil milhões de euros) na Defesa, Segurança e Ordem Pública, de acordo com o Orçamento Geral do Estado (OGE) revisto em março, devido à quebra nas receitas petrolíferas, o que representou um corte de 17,2 por cento face ao orçamentado anteriormente.

Estas áreas – que envolvem o setor militar, polícias, bombeiros, tribunais, prisões e proteção civil – representam, em conjunto, 15,5% do total despesa pública angolana programada para 2015 pelo Executivo angolano. (dn.pt)

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA