“Alemanha é capaz de receber meio milhão de refugiados por ano”

(REUTERS)
(REUTERS)
(REUTERS)

Vice-chanceler federal alemão, Sigmar Gabriel, afirma que país tem economia forte o suficiente para lidar com fluxo “desproporcional de migrantes” durante alguns anos. Ala conservadora do governo se mostra cautelosa.

A Alemanha tem condições de receber meio milhão de refugiados por ano, disse o ministro da Economia e vice-chanceler federal alemão, Sigmar Gabriel, nesta terça-feira (08/09).

“Acredito que conseguiríamos lidar com um número da ordem de meio milhão durante alguns anos. Não tenho dúvidas. Talvez ainda mais”, declarou o social-democrata à emissora ZDF. O governo alemão estima que o país vá receber 800 mil refugiados somente neste ano.

“A Alemanha poderá aceitar uma parcela bastante desproporcional” entre os países da União Europeia (UE) por ser um “economicamente forte”, afirmou Gabriel. “A Alemanha é um país forte e compassivo”, ressaltou Gabriel.

O vice-chanceler federal destacou, no entanto, que outros Estados-membros da União Europeia devem receber a sua cota de refugiados, já que dezenas de milhares de pessoas continuam a fugir da guerra e da pobreza no Oriente Médio e na África.

Gabriel descartou a necessidade de aumento de impostos no contexto do recém-anunciado pacote bilionário para assistência aos refugiados.

Reacção conservadora

Ao mesmo tempo, o governo alemão se mostra dividido quanto à postura aberta aos refugiados. O site Spiegel Online compilou a reacção crítica de políticos da conservadora União Social Cristã (CSU), tradicional aliado da União Democrata Cristã (CDU), da chanceler federal Angela Merkel.

O secretário-geral da CSU, Andreas Scheuer, disse ao jornal Bild que as decisões recentes da coalizão do governo para lidar com a crise de refugiados são “um passo importante”, mas não bastam, porque a causa do extremo fluxo de refugiados continua.

Já o ministro do Desenvolvimento, Gerd Müller, também da CSU, pediu medidas urgentes por parte da UE em entrevista à emissora alemã Phoenix. Para ele, o bloco europeu precisa trabalhar mais pelas vítimas do conflito no Oriente Médio para desarticular a crise de refugiados na Europa. “Se não fizermos mais localmente, as pessoas estarão prontas para vir para a Alemanha e Europa. Não podemos construir muros em torno de nós”, disse Müller.

O ministro salientou que a comunidade internacional investe 1,2 trilião de euros em armamento, mas apenas 120 bilhões na cooperação internacional. Para ele, isso precisa ser repensado. “Política de desenvolvimento é política de paz e de futuro”, citou o Spiegel Online.

Somente no final de semana passado, a Alemanha recebeu mais de 15 mil migrantes. Diariamente chegam trens com migrantes em Munique, provenientes da Hungria via Áustria. (dw.de)

MP/lusa/afp

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA