Agentes da Polícia juraram bandeira

612 membros da Policia juraram bandeira (Foto: Angop)

O número de efectivos dos órgãos operativos do Ministério do Interior aumentou na província do Zaire com o ingresso de 612 membros que juraram bandeira, em cerimónia presidida pelo segundo comandante-geral da Polícia Nacional para a Ordem Pública, comissário-chefe Paulo de Almeida.

 612 membros da Policia  juraram bandeira (Foto: Angop)
612 membros da Policia juraram bandeira (Foto: Angop)

Dos novos membros, 308 são da Polícia de Ordem Pública, 147 do Serviço de Protecção Civil e Bombeiros, 113 do Serviço Penitenciário e 44 do Serviço de Migração e Estrangeiros.

A cerimónia de juramento de bandeira foi realizada no Centro de Instrução de Nzau-Evua, a 64 quilómetros da cidade de Mbanza Congo, onde decorreu o curso básico, repartido em aulas teóricas e práticas. Os agentes receberam instrução de ordem unida, socorrismo, continência e honras militares, técnica e práticas militares, armamento e tiro.

Defesa, comunicação interpessoal e noções básicas de Direito Penal foram também matérias assimiladas pelos novos membros do Ministério do Interior.

Ao discursar na cerimónia, o comissário-chefe Paulo de Almeida lembrou aos novos agentes que assumiram, a partir de agora, a alta responsabilidade de defender os valores do Estado angolano.

“Ao jurarem bandeira, os novos agentes deixaram de ser cidadãos comuns, para passarem a ser agentes da autoridade, patriotas convictos, protectores e defensores acérrimos da Lei, da ordem e da segurança pública”, salientou o segundo comandante-geral  para a Ordem Pública.

O oficial da Polícia Nacional  aconselhou os novos agentes a absterem-se de práticas que mancham a reputação e o bom nome da corporação, como o suborno, extorsão, conhecida como “gasosa”, abuso de autoridade e embriaguez.

O oficial superior sublinhou que os crimes que mais preocupam as autoridades nacionais e da província do Zaire são a imigração ilegal, tráfico de seres humanos, transgressão cambial, tráfico de drogas e contrabando de mercadorias e combustível.

“Todos os cidadãos são chamados a contribuir na vigilância, observação e denúncia de actos delituosos, cooperando com as forças policiais da região”, acentuou o segundo comandante-geral da Polícia Nacional.

Em seu entender, o crescimento e desenvolvimento sócio-económico da província do Zaire vai obrigar os novos agentes a reforçar a vigilância contra a infiltração de redes criminosas.

O governador da província do Zaire, José Joanes André, elogiou a actividade do centro de instrução de Nzau-Evua, que permitiu a realização do primeiro curso básico. Acrescentou que, mesmo com o actual quadro da situação de crise económica do país, o Executivo continua a apostar na formação profissional e académica de jovens e na construção de escolas.

A cerimónia foi presenciada pela administradora municipal de Mbanza Congo, Isabel Nlandu Morena, por membros do Governo da Província do Zaire, autoridades eclesiásticas e tradicionais, e familiares dos novos agentes. (jornaldeangola.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA