Afrobasket2015: Troca de posições tornou prova muito difícil – Armando Costa

AFROBASKET2015: ACTUAÇÃO DE ARMANDO COSTA NO JOGO CONTRA O EGIPTO (Foto: Angop)

Radés – O internacional angolano Armando Costa disse à Angop, em Radés (Tunísia), que o facto de ter jogado a época 2014/2015 a extremo (posição 2) no seu clube, mas ter de voltar a exercer o papel de base (posição 1) na selecção nacional, dificultou muito o seu desempenho e do conjunto nacional, em geral, no Afrobasket2015.

AFROBASKET2015: ACTUAÇÃO DE ARMANDO COSTA NO JOGO CONTRA O EGIPTO (Foto: Angop)
AFROBASKET2015: ACTUAÇÃO DE ARMANDO COSTA NO JOGO CONTRA O EGIPTO (Foto: Angop)

Principal organizador de jogo do cinco nacional, o atleta do 1º de Agosto confessou ter encontrado sérias dificuldades à readaptação em pouco mais de dois meses de preparação, embora seja a posição um a sua original, visto que na condição de distribuidor teve, naturalmente, mais tempo de jogo e maiores responsabilidades sobre o grupo.

“Foi um africano para mim muito difícil, porque venho de um campeonato em que nem joguei a base sequer e cheguei aqui fui outra vez o jogador principal da selecção”, explicou, defendendo maior organização, por formas a evitar situações semelhante ou piores nos próximos compromissos.

Na sua opinião, as coisas têm que ser mais bem organizadas, preparar melhor os atletas e fazer-se presente em provas do género com grande atitude, diferente do que se apresentou em Radés, onde a equipa quedou-se na segunda posição, ao perder na final diante da Nigéria, por 65-74.

Referiu ter notado alguma fadiga de jogadores influentes na manobra da selecção, visto terem menos período de descanso em relação a Nigéria após os jogos das meias-finais, mas que isso não pode servir de desculpa pelo desaire na decisão do tão almejado título.

Quanto ao seu futuro na equipa nacional, o jogador afirmou que estará sempre disponível à selecção, devendo, para o efeito, voltar a trabalhar muito no seu clube e tentar recuperar de forma mais normal e consentânea a sua verdadeira posição de base.

De 32 anos de idade, Armando Costa (1,92 m de altura e 91 kg) perdeu domingo último, na localidade tunisina de Radés, a segunda final de um campeonato africano, das seis em que esteve, depois de ter falhado o título em 2011, no Madagáscar.

O base do 1º de Agosto sagrou-se campeão africano ao serviço da selecção em 2005 (Argélia), 2007 (Angola), 2009 (Líbia) e 2013 (Cote d’Ivoire). (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA