Africanos: Tivemos que trabalhar para tornar o jogo fácil – Carlos Dinis

Treinador da selecção masculina, Carlos Dinis (Foto: Angop)

Brazzaville – O treinador da selecção masculina, Carlos Dinis, disse que estudaram bem o adversário e daí o triunfo folgado de 104-49 frente ao Gabão na segunda jornada do torneio de basquetebol dos Jogos Africanos Brazzaville2015.

Treinador da selecção masculina, Carlos Dinis (Foto: Angop)
Treinador da selecção masculina, Carlos Dinis (Foto: Angop)

Falando à imprensa no final do encontro realizado no pavilhão Makelekele de Brazzaville, o técnico sublinhou: “tivemos de trabalhar para tornar o jogo fácil. Esse Gabão está com todos os jogadores  com que fez um bom Afrobasket2015”.

“Nós tinhamos feito um scouting mesmo durante o Afrobasket e sabíamos ocmo jogava o Gabão. Conseguimos eliminar os seus pontos fortes e tonamo-lo uma equipa vulgar e frágil. Mas foi preciso trabalhar, senão também corríamos o risco de ser surpreeendidos”.

Perspectivando o futuro, Carlos dinis que não tem escolha senão a equipa crescer na prova. “Não temos outra saída. Temos de reconhecer de facto que a equipa está a crescer. Mas vamos ver.”

Reiterou o objectivo de melhorar a classificação do último torneio panafricano (terceiro lugar em Maputo2011) e depois pensar em algo diferente.

Com duas vitórias, Angola observa esta sexta-feira uma pausa e retoma sábado o torneio diante das Ilhas Seychelles, seguindo-se a formação da casa no fecho do grupo A.

Apuran-se para as meias finais, o primeiro e segundo classificado de cada uma das duas séries constituidas. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA