Vítor Tito nega ter criado cartazes do PS. Quem foi, afinal?

(D.R)

Negada a ligação de Edson Athayde aos cartazes com dados sobre o desemprego, surgiu o nome de Vítor Tito. Mas este também negou. De quem é, então, a autoria dos outdoors?

(D.R)
(D.R)

Depois dos primeiros, parodiados e classificados por muitos como “evangélicos”, a segunda leva de cartazes do PS não conseguiu mais do que adensar a polémica.

Em reação às controvérsias geradas, o Partido Socialista garantiu que não foi o publicitário Edson Athayde o responsável pelos outdoors que fazem referência ao desemprego.

Este domingo, o Diário de Notícias noticiava que os cartazes eram da autoria de Vítor Tito, publicitário do Porto e administrador da agência BBZ, algo que este acabou por negar.

A BBZ “nunca, mesmo nunca teve qualquer contrato de colaboração ou de prestação de serviços com qualquer partido ou organização partidária” e não faturou “um cêntimo a qualquer organização política ou partidária”, dado que não é esse o seu “core business”, garantiu Vítor Tito ao Observador.

As declarações surgem depois de o Diário de Notícias ter referido que o publicitário portuense já tinha trabalhado com o PS, tendo ajudado Manuel Pizarro, candidato do PS à Câmara do Porto nas últimas autárquicas, e tendo trabalhado anteriormente com António Costa quando este liderava a autarquia lisboeta.

Apesar de as declarações do criativo ao Observador darem conta de que uma eventual conotação político-partidária “poderia ter um prejuízo objetivo” na “atividade empresarial” da BBZ, certo é que a Câmara de Lisboa se encontra entre os clientes do portefólio da empresa.

Em todo o caso, a responsabilidade pelos polémicos cartazes do Partido Socialista está por apurar. (noticiasaominuto.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA