Vietname pode ser um dos principais parceiros económicos de Angola – embaixador

João Manuel Bernardo - Embaixador de Angola no Vietname (ANGOP)

A República Socialista do Vietname tem potencial para se tornar num dos principais parceiros económicos de Angola, tendo em conta a sua capacidade e as relações de cooperação entre os dois países, disse hoje, em Luanda, o embaixador João Manuel Bernardo.

João Manuel Bernardo - Embaixador de Angola no Vietname (ANGOP)
João Manuel Bernardo – Embaixador de Angola no Vietname (ANGOP)

O diplomata angolano, que falava à Angop, no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, momentos depois da chegada a Luanda do vice-primeiro-ministro do país asiático, Hoang Trung Hai, esclareceu que além da educação e saúde, o Vietname pode “cooperar” com Angola em vários outros sectores, com destaque para a agricultura, indústria e telecomunicações.

“No ramo da agricultura eles são fortes na produção de arroz e de outros produtos alimentares básicos, por isso deveremos aproveitar a experiência desse país no cultivo dos mesmos”, explicou.

Referiu ainda que para além da agricultura, o Vietname pode ajudar Angola no campo da indústria agro-alimentar, transformadora,  têxtil e mineira.

Por outro lado, o responsável angolano mostrou-se regozijado com os níveis de cooperação e de amizade entre Angola e o Vietname, e considerou muito importante para o incremento do reforço das relações a visita oficial de três dias de Hoang Trung Hai.

As relações político-diplomáticas entre a República de Angola e a do Vietname datam de 12 de Novembro de 1975, altura em que o Vietname reconheceu a independência de Angola.

Entretanto, três anos depois (1978), os dois países assinaram o Acordo Geral de Cooperação, instrumento legal através do qual os governos dos dois estados traçaram as linhas orientadoras sobre o tipo de relacionamento que se veio a estabelecer até aqui, em todos os domínios.

A República do Vietname e de Angola mantêm protocolos rubricados em distintos domínios, com destaque para os sectores dos petróleos, educação, ensino superior, saúde, agricultura, ciência e tecnologia, bem como comércio, indústria e empresarial. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA