Vice-primeiro-ministro do Vietname deixa Luanda

HOANG TRUNG HAI - VICE-PRIMEIRO- MINISTRO DO VIETNAME (Foto: Pedro Parente)

O vice-primeiro-ministro da República do Vietname, Hoang Trung Hai, deixou hoje (sexta-feira), Luanda, depois de ter efectuado uma visita oficial de 72 horas a Angola, no âmbito do reforço da cooperação entre os dois países.

HOANG TRUNG HAI - VICE-PRIMEIRO- MINISTRO DO VIETNAME (Foto: Pedro Parente)
HOANG TRUNG HAI – VICE-PRIMEIRO- MINISTRO DO VIETNAME (Foto: Pedro Parente)

No Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, Hoang Trung Hai, que não prestou declarações à imprensa, recebeu cumprimentos de despedida de várias entidades, com destaque para a secretária de Estado para a Cooperação, do Ministério das Relações Exteriores,  Ângela Bragança, e do embaixador do seu país em Angola, Do Bo Khoa.

Na manhã desta sexta-feira, o governante asiático foi recebido em audiência pelo vice-presidente da República, Manuel Domingos Vicente, com quem abordou a cooperação bilateral, nos vários domínios.

Por outro lado, o vice-primeiro-ministro vietnamita chefiou a delegação do seu país às conversações oficiais Angola-Vietname que passaram em revista as relações de cooperação e solidariedade entre os dois estados e, principalmente, projectou o futuro das mesmas em prol do bem-estar dos respectivos povos.

Durante a sua estada em Luanda, Hoang Trung Hai homenageou o primeiro Presidente de Angola, António Agostinho Neto, durante uma visita ao Mausoléu com o seu nome, onde depositou uma coroa de flores em memória a essa figura histórica tendo percorrido demoradamente o edifício.

O visitante analisou também a cooperação nos domínios da Agricultura e da Indústria, durante um encontro conjunto que manteve com os titulares desses dois sectores, respectivamente, Afonso Pedro Canga e Bernarda Martins.

As relações político-diplomáticas entre a República de Angola e a do Vietname datam de 12 de Novembro de 1975, altura em que este Estado asiático reconheceu a independência nacional.

Entretanto, três anos depois (1978), os dois países assinaram o Acordo Geral de Cooperação, instrumento legal através do qual os governos traçaram as linhas orientadoras das relações, mantendo protocolos rubricados em distintos domínios, com destaque para os petróleos, educação, ensino superior, saúde, agricultura, ciência e tecnologia, bem como comércio, indústria e empresarial. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA