Vice-Presidente defende concertação financeira entre estados africanos

Vice-Presidente da República, Manuel Domingos Vicente (Foto: Angop)

O Vice-Presidente da República, Manuel Domingos Vicente, defendeu, nesta quinta-feira, o reforço do diálogo e da concertação entre os principais responsáveis políticos e técnicos dos sectores financeiro e monetário dos estados africanos, face ao momento de instabilidade da economia mundial.

Vice-Presidente da República, Manuel Domingos Vicente (Foto: Angop)
Vice-Presidente da República, Manuel Domingos Vicente (Foto: Angop)

Segundo Manuel Domingos Vicente, que falava em representação do Presidente da Republica, José Eduardo dos Santos, na abertura do Caucus Africano, só deste modo os países africanos poderão contribuir de forma convergente e consistente.

Tal contribuição (convergente e consistente) deve ser feita ao nível do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD), do Banco Mundial (BM) e do Fundo Monetário Internacional (FMI).

O Vice-Presidente da República disse tratar-se de instituições com as quais é essencial aprofundar e consolidar a cooperação para que seja possível edificar um Sistema de Financiamento Internacional mais justo e consentâneo com o desenvolvimento sustentável.

Na actual conjuntura económica e financeira, prosseguiu, devemos fazer um apelo mais forte para que as instituições de Bretton Woods apoiem de facto a industrialização do nosso continente, a fim de tornarmos possível a transformação e a diversificação económica.

Na intervenção na abertura da reunião de Ministros das Finanças e Governadores dos Bancos Centrais Africanos, Caucus Africano, Manuel Domingos Vicente considerou crucial a industrialização do continente africano.

“Devemos ter uma visão mais abrangente, integrada de diversificação da economia, baseada em cadeias de valor, nacionais e regionais, em sectores que temos ou poderemos ter condições para competir”, ressaltou.

Para a concretização dessa visão, o governante angolano disse ser importante acrescentar mais valor aos recursos que o continente possui, “seja através de infra-estruturas e actividades complementares ou de suporte como os sistemas de transporte, telecomunicações, bancários e financeiro.

A referida estratégia visa, entre outros factores, gerar zonas, clusters ou pólos integrados de desenvolvimento. A decorrer de 27 a 28 do mês em curso, em Luanda, a reunião de Ministros das Finanças e Governadores dos Bancos Centrais Africanos, Caucus Africano, visa fortalecer a voz dos representantes do continente em relação às questões importantes de desenvolvimento sócio-económico das instituições de Bretton Woods.

Entre os temas agendados nos seis painéis, destacam-se a Visão Geral da Economia Regional, Transformação e Diversificação Económica, Discussão sobre o Memorando de 2015 do Caucus Africano, bem como os Financiamentos de Projectos Regionais ligados às infra-estruturas.

Angola foi designada formalmente como líder do Grupo do Caucus Africano em 2015, no evento que decorreu de 3 a 4 de Setembro de 2014, na República do Sudão. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA