Rui Rio intensifica contactos. Norte apoia, Sul à espera de Marcelo

(D.R)

Ex-autarca tem falado com vários líderes distritais, sendo a aceitação maior nas estruturas a norte de Coimbra

(D.R)
(D.R)

Rui Rio dispensa férias e tem intensificado os contactos junto de estruturas do aparelho do PSD nas últimas semanas, nomeadamente distritais, no sentido de garantir apoios para uma candidatura às presidenciais. O mesmo foi garantido ao DN por fonte próxima da equipa que está a preparar a candidatura, que ainda pondera a melhor data para avançar.

Um dos maiores obstáculos – assumido pelo próprio Rui Rio na última entrevista que deu à RTP – foi ultrapassado: o financiamento. O ex-presidente da Câmara Municipal do Porto já tem fundos para ir para a estrada. “O dinheiro recolhido ainda não chega para cobrir toda a campanha, que pode chegar aos 1,5 milhões de euros, mas é o suficiente para esta ser viável e arrancar”, explicou ao DN fonte próxima do processo.

A mesma fonte sublinhou que o financiamento garantido vem de “empresários e próximos do partido e não só, do Centro e Norte do país, e apoiantes que garantiram donativos [o limite é 25 560 euros por cidadão] para a campanha”. A este valor há que acrescentar a subvenção estatal, pois Rio terá sempre, acreditam os seus apoiantes, um resultado confortável (embora possa não ser exuberante, se houver outras candidaturas de centro-direita).

Rui Rio tem contactado vários líderes distritais, sendo a aceitação maior nas estruturas a norte de Coimbra do que a sul do país, onde os dirigentes contactados alegam que Marcelo Rebelo de Sousa lhes pediu que “não se comprometessem”.

O modus operandi de Rio na angariação de apoios é simples e direto: faz um contacto telefónico com o dirigente distrital (ou concelhio) e depois envia uma pequena comitiva para discutir detalhadamente de que forma será anunciado o apoio e que contributos podem dar esses potenciais apoiantes. Alguns estiveram já nos bastidores a recolher o tal financiamento já garantido. (dn.pt)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA