Queimadas são ameaça à palanca negra gigante

(ja.co)

O administrador do Parque Nacional da Cangandala, Cardoso Raimundo Bebeca, manifestou ontem a sua preocupação com os incêndios provocados no perímetro do parque pela população da comuna de Culamagia.

(ja.co)
(ja.co)

Em declarações à Rádio Nacional de Angola, o administrador disse que o fogo das queimadas já destruiu parte da nova vedação que está a ser feita no Parque da  Cangandala.

Cardoso Rebeca pediu à população que acate os conselhos das administrações comunais e evitea prática de queimadas no “habitat” natural da palanca negra gigante. Segundo Raimundo Bebeca, esta espécie regista um bom nível de reprodução, contando agora com mais de quarenta unidades.

Uma das características da palanca negra gigante é a de nascer com a cor castanha, não permitindo a diferenciação entre os machos e fêmeas, mas após a maturação sexual o antílope adquire a cor preta.

Durante uma visita recente do vice-governador para o Sector Técnico e Infra-estruturas, Gabriel Pontes, ao município de Luquembo, as autoridades tradicionais da comuna de Capunda pediram apoio e protecção à Reserva Integral do Luando, que fica naquela circunscrição territorial da província de Malanje.“Queremos que a Reserva Integral seja apoiada, à semelhança do que acontece com o Parque Nacional de Cangandala, onde está a ser conservada a palanga negra gigante”, disseram os sobas.

Os sobas defendem uma maior protecção para a reserva do Luando por ser o “habitat” natural da palanca negra gigante, espécie rara.

A Reserva Integral do Luando é composta pelas comunas de Capunda, Quimbango e Cunga Palanga.

O vice-governador de Malanje para o Sector Técnico e Infra-estruturas, Gabriel Pontes, garantiu que o Governo está a desenvolver esforços para reforçar a  fiscalização do Parque Nacional de Cangandala e da Reserva Integral do Luando. (ja.co)

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA