Presidente da República aborda reforço da cooperação com chefe da diplomacia do Burundi

Ministro dos Negócios Estrangeiros do Burundi, Alain Aimé Nyatmitwei (Foto: Francisco Miudo)

O Presidente da República, José Eduardo dos Santos, recebeu hoje, segunda-feira, no Palácio Presidencial, em Luanda, o ministro dos Negócios Estrangeiros do Burundi, Alain Aimé Nyamitwe, com quem abordou questões ligadas ao reforço da cooperação bilateral.

Ministro dos Negócios Estrangeiros do Burundi, Alain Aimé Nyatmitwei (Foto: Francisco Miudo)
Ministro dos Negócios Estrangeiros do Burundi, Alain Aimé Nyatmitwei (Foto: Francisco Miudo)

Abordado pela imprensa a saída do encontro, o chefe da diplomacia do Burundi que considerou “profícuas” as relações de cooperação entre os dois países, datadas de longo anos, informou que com o estadista angolano trocou impressões relacionadas com a forma de se incrementar e reforçar a aludida cooperação, uma vez que os dois países são membros da Conferência Internacional sobre a Região dos Grandes Lagos (CIRGL), a qual o Chefe de Estado angolano, José Eduardo dos Santos, é presidente em exercício.

“É imperioso que os dois países juntem sinergias em termos de cooperação, tanto ao nível bilateral como da CIRGL e da União Africana”, destacou Alain Aimé Nyamitwe, que aproveitou também a ocasião para transmitir ao líder angolano o ponto de situação política e militar reinante actualmente no Burundi, após a realização das recentes eleições legislativas e presidenciais.

Neste capítulo (situação no Burundi pós eleições), deu a conhecer que informou ao Presidente José Eduardo dos Santos que o seu país, neste momento, possui já instituições eleitas, resultante do voto popular, uma vez que as legislativas ocorrerem a 21 de Junho deste ano e as presidenciais a 21 de Julho.

Disse que as instituições sufragadas pelo povo já tomaram posse, com principal destaque para os deputados.

“Daqui a algum tempo todas as instituições eleitas de forma democrática vão tomar os seus assentos e isso fará com que o Burundi volte a funcionar na normalidade”, referiu.

Alain Nyamitwe, que reconheceu ainda existir no seu país alguns focos de tensão, lamentou o assassinato de uma alta patente militar burundesa general Adolphe Nshimirimana, ocorrido a 02 de Agosto do corrente, e frisou que os órgãos de defesa do Estado estão a envidar todos os esforços no sentido de localizar os autores do crime.

O general Nshimirimana desempenhou um papel fundamental no seio das forças armadas, para impedir a recente tentativa de golpe de Estado no Burundi e pôr um termo à vaga de manifestações contra uma terceira candidatura de Pierre Nkurunziza. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA