Pregação pode transformar-se em propaganda – Emílio de Carvalho

Emilio de Carvalho - Bispo Reformado da Igreja Metodista Unida (Foto: arquivo - Pedro Parente)
Emilio de Carvalho - Bispo Reformado da Igreja Metodista Unida (Foto: arquivo - Pedro Parente)
Emilio de Carvalho – Bispo Reformado da Igreja Metodista Unida (Foto: arquivo – Pedro Parente)

O Bispo reformado Igreja Metodista Unida em Angola , Emílio de Carvalho, considerou que a pregação da palavra de Deus pode transformar-se em propaganda em beneficio material de um individuo ou de um grupo ávido por dinheiro ou de poder.

O religioso, que falava Domingo durante uma palestra realizada pela Igreja Metodista ”Belém“ sob o tema “130 Anos de Evangelização, Visão Ontem e Hoje” ,fez uma incursão nos aspectos bíblicos e doutrinários que contribuem para o desenvolvimento da Igreja Metodista em Angola.

Considerou igualmente o ensinamento da palavra como um gozo de vida, entendimento e justiça que vai para além da ética do evangelho, e não uma mera emoção.

“A propaganda sim, pode esconder a verdade e explorar a natureza humana, porém o cristão que ensina muitas vezes a palavra, o faz em silêncio, pois não o faz com coração, mas por obrigação consciente, ele é um aprendiz enquanto ensina.” Frisou.

O comportamento social do cristão, o testemunho, a linguagem, e a desobediência foram alguns aspectos apontados pelo líder como sendo pouco convidativos e ineficazes para convencer os homens e as mulheres aderirem verdadeiramente a Cristo.

Para Emílio Júlio Miguel de Carvalho, a prática da evangelização ontem e hoje continua a ser tarefa fundamental, primordial e indiscutível da igreja.

Durante a palestra o reverendo disse que o cristão vive sob pressão do mundo, onde o julgamento está no facto de se constituir um cristianismo de intuição, na qual o nome de Deus pronunciados diariamente é desafiado com os desígnios da sociedade.

Defende que a responsabilidade de se viver como cristão, pressupõem obrigações de explicar fé que hoje é exercitada muito superficialmente. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA