Portugal: Créditos ao consumo voltam a superar os 400 milhões em Junho

(jornaldenegocios.pt)
(jornaldenegocios.pt)
(jornaldenegocios.pt)qa<

O montante concedido em crédito ao consumo acelerou no final do primeiro semestre, com o total dos empréstimos a superar novamente a fasquia dos 400 milhões de euros. Os créditos sem finalidade específica continuam a dominar.

Continua a crescer o montante concedido em crédito ao consumo. O valor total ascendeu a 409,4 milhões de euros em Junho, um aumento de mais de 20% face ao mesmo mês do ano passado. Um saldo para o qual os créditos sem finalidade específica contribuem de forma expressiva, mas que tem acelerado muito à custa dos novos financiamentos para a aquisição de automóveis.

Depois dos 397,3 milhões de euros concedidos em Maio, o valor total ascendeu a 409,38 milhões em Junho. Um aumento que colocou o montante total em máximos desde Março, tendo ficado bastante acima dos 337 milhões de euros registados no mesmo mês do ano passado. Em termos homólogos registou-se, segundo os dados do Banco de Portugal, um crescimento de 21,48%.

Este forte aumento, numa base homóloga, é explicado pelos créditos pessoais e os empréstimos para a compra de carros. Os financiamentos pessoais, sem finalidade específica, continuam a dominar estes créditos, totalizando 174,2 milhões (42,6% do total), apresentando um aumento de 14,8% face o mesmo mês de 2014. No caso dos créditos para automóvel, o aumento é ainda mais expressivo: 42%.

De acordo com o Banco de Portugal, nas várias modalidades de financiamento para o automóvel foram concedidos pelas instituições financeiras 150,5 milhões de euros durante o mês de Junho. Este montante compara positivamente com os 142,5 milhões em Maio, representando um forte aumento face aos 105,7 milhões em Junho de 2014.

Esta é uma evolução que acompanha a do crescimento das vendas de automóveis no mercado nacional. Segundo dados da ACAP, as vendas em Junho registaram um aumento de 33,9% face ao mesmo mês do ano passado. Um aumento suportado, em parte, no crédito, que faz com que este seja já o segundo destino dos empréstimos ao consumo em Portugal. (jornaldenegocios.pt)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA