Polícia aperfeiçoa técnicas de combate

Polícia angolana (foto: arquivo)

O combate à criminalidade está mais reforçado, após a realização, em Luanda, do XI curso básico de Cinotecnia que envolve o binómio homem-cão.

Polícia angolana (foto de arquivo)
Polícia angolana (foto: arquivo)

O curso terminou ontem e contou com a participação de 90 efectivos da Polícia Nacional e das Forças Armadas Angolanas (FAA), nas especialidades de  pista, patrulha, detecção de drogas, explosivos, armamento e enfermagem canina.

O director da Escola de Formação de Cinotecnia do Comando da Cavalaria da Polícia Nacional, intendente Hélio dos Santos, disse, ontem,  que o curso foi orientado por 11 instrutores, dos quais oito angolanos e três cubanos.

Os recém-formados vieram das províncias do Bié, Benguela, Cabinda, Huila, Huambo, Lunda Sul. Os formados aprenderam matérias relacionadas com a vida social do cão, sistema nervoso, reflexos, comunicação, stress e mentalidade, carácter, agressão, órgãos sensoriais dos cães e outros aspectos.

De acordo com o director da escola, um outro curso sobre técnica canina começa no dia 18 deste mês em Luanda. A participação dos e­fectivos das Forças Armadas Angolanas no curso, explicou Hélio dos Santos, deve-se à necessidade de se potenciar cada vez mais  esta especialidade na exército.

As FAA contam com a especialidade canina, o que tem ajudado no combate ao tráfico de seres humanos e aos crimes violentos. “A técnica canina nas Forças Armadas Angolanas é mais uma arma de combate à criminalidade e reforço da capacidade operativa”,  disse.

O curso  teve o objectivo de aperfeiçoar a preparação técnico-profissional dos efectivos nas unidades, tendo  o adestramento canino como ponto de partida. (ja.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA