Pelo menos 40 migrantes morrem no Mediterrâneo

Marinha italiana resgata migrante em operação de helicóptero (DW)
Marinha italiana resgata migrante em operação de helicóptero (DW)
Marinha italiana resgata migrante em operação de helicóptero (DW)

Vítimas foram achadas no porão de carga da embarcação, que levava entre 300 e 400 refugiados, e teriam morrido sufocadas. Mais de 300 passageiros foram resgatados.

Pelo menos 40 migrantes que estavam a bordo de um navio que navegava no Mediterrâneo foram encontrados mortos neste sábado (15/08), anunciou a Marinha italiana, em sua conta na rede social Twitter.

Centenas de pessoas foram salvas, em operação de resgate que durou a manhã e a tarde deste sábado. Segundo imprensa italiana, as vítimas aparentemente morreram sufocadas, presas sob o convés.

Massimo Tozzi, comandante do navio da Marinha Cigala, unidade responsável pelo resgate, confirmou o salvamento de “319 pessoas de várias nacionalidades, entre elas 45 mulheres e 3 menores”.

O barco teria começado a passar por dificuldades na costa líbia, ao sul da ilha italiana de Lampedusa, e tinha entre 300 e 400 pessoas a bordo, segundo o jornal italiano Corriere della Sera. Os mortos foram descobertos no porão de carga da embarcação.

Na semana passada, um barco de refugiados com pelo menos 600 pessoas a bordo afundou ao largo da costa da Líbia. Mais de 360 refugiados foram resgatados, mais de 200 pessoas morreram.

De acordo com a agência da ONU para refugiados (Acnur), 224 mil refugiados chegaram na Europa desde Janeiro através do Mediterrâneo, incluindo 98 mil, na Itália.

Mais de 2 mil migrantes morreram em 2015 ao tentarem fazer a perigosa travessia do Mar Mediterrâneo até a Europa, segundo a Organização Internacional de Migração (IOM, na sigla em inglês). Quase todas as mortes registadas ocorreram na rota entre a Líbia e a ilha italiana da Sicília. (dw.de)

MD/lusa/afp/dpa/rtr

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA