Passos encerra Universidade de Verão com a pré-campanha na estrada

(LUSA)
(LUSA)
(LUSA)

O líder do PSD encerra hoje a Universidade de Verão do partido, já com a pré-campanha para as legislativas na estrada, para a qual o guião parece estar traçado, com ataques diretos ao PS no centro dos discursos.

Há 15 dias, na festa do Pontal, que este ano pela primeira vez juntou os dois partidos da coligação PSD/CDS-PP, o presidente social-democrata deu o ‘pontapé de saída’ pedindo “um resultado politicamente inequívoco” nas eleições de 04 de outubro, advertindo que sem isso “o próximo Governo há de ser seguramente um Governo cheio de problemas”.

Na ‘rentrée’ da coligação, Passos Coelho pediu também aos portugueses que para decidirem com “a cabeça e com o coração”, colocando de parte qualquer “azedume, amargura e ressentimento”, deixando a coligação governar “em tempos normais”, depois de quatro anos a lidar com dificuldades.

Ao longo da semana, o “guião” foi seguido pelos convidados da Universidade de Verão do PSD, por onde passaram os ministros das Finanças, Maria Luís Albuquerque, Ambiente, Jorge Moreira da Silva, o ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional, Miguel Poiares Maduro.

O antigo presidente da comissão europeia e ex-líder do PSD José Manuel Durão Barroso foi outro dos ‘professores’ que passou por Castelo de Vide, corroborando o discurso que é necessário manter “uma política responsável”, que não coloque em causa os “ganhos de credibilidade” acumulados nos últimos anos.

O eurodeputado do CDS-PP Nuno Melo foi o único convidado do parceiro de coligação dos sociais-democratas para as legislativas, com uma intervenção alinhada com o PSD, insistindo na colagem do PS de António Costa ao PS que “trouxe a ‘troika’ em 2011” e “à extrema-esquerda radical, irresponsável e fantasista” do Syriza, do grego Alexis Tsipras.

Já o líder parlamentar do PSD, Luís Montenegro, preferiu recorrer ao futebol para falar da “inconsistência” e “impreparação” de António Costa, comparando-o a um jogador de futebol de uma equipa de “médio da tabela”: “Aquilo que me parece, politicamente falando, é que o doutor António Costa é muito bom a jogar na Liga Europa, mas não tem jeito para jogar na Champions League”, gracejou.

Na última aula, no sábado, o eurodeputado Paulo Rangel fez José Sócrates ‘entrar’ na Universidade de Verão, questionando, a propósito do “ataque sério e consistente” que tem sido feito à corrupção e à “promiscuidade”, se alguém acredita que se os socialistas estivessem no poder haveria um ex-primeiro-ministro sob investigação.

Na semana em que Pedro Santana Lopes anunciou que não se irá candidatar à Presidência da República, o tema das presidenciais chegou a Castelo de Vide pelo jornal da Universidade de Verão, com o antigo líder do PSD Luís Marques Mendes a defender, numa resposta escrita a perguntas enviadas pelos alunos, que se existir mais do que um candidato da área social-democrata, o partido deve dar liberdade de voto à primeira volta. (noticiasaominuto.com)

por Lusa

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA