“Para António Costa, o que importa é cair no goto”

Nuno Melo (D.R)

O deputado do CDS lembra as declarações de António Costa, há cinco dias, quando disse não era “um melão que só se conhece depois de abrir”, e contrapôs argumentos.

 Nuno Melo (D.R)
Nuno Melo (D.R)

Foi dia 1 de agosto que António Costa disse “eu não sou um melão que só se conhece depois de abrir”. Hoje, na edição do Jornal de Notícias, Nuno Melo acredita que a frase de Costa foi despropositada, mais não seja por desconhecer as propriedades do fruto.

” [Ao melão] são-lhe atribuídas propriedades que ajudam (…) à proteção da visão, (…) à eliminação das toxinas e ao aumento da resistência dos vasos sanguíneos”. Partindo desta premissa, Nuno Melo refere que para o líder socialista “não interessa nada” e que aquilo “que importa é cair no goto”, e explica: “há que ser simpático e dizer sempre aquilo que se acha que as pessoas querem ouvir, mesmo que errado, a pensar nos votos”.

Mantendo o sentido das críticas, Nuno Melo refere que as opções de Costa são as mesmas do que as do seu partido. “António Costa vê sentido na luta pela vitória das primeiras impressões. Nega qualquer caminho das pedras, por ser difícil e impopular, mesmo que inevitável.”

“Na entrevista dada, o secretário-geral do PS não esclareceu em que fruto se reveria. Acredita-se apesar de tudo, sem grande risco de falhar, que pensaria num exuberante medronho, porventura de tom rosado”, concluiu. (noticiasaominuto.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA