Palestras sobre violência doméstica vão marcar viragem na consciencialização do problema

MESA DE PRESIDIUM DA PALESTRA SOBRE O TEMA: COMBATE A VIOLÊNCIA DOMÉSTICA (Foto: Gaspar Dos Santos)

As temáticas a serem discutidas no ciclo de palestras sobre a violência doméstica vão marcar uma viragem na consciencialização e abordagem deste mal nas suas mais variadas vertentes, disse hoje, terça-feira, em Luanda, o Secretário de Estado do Ministério do Interior, José Bamóquina Zau.

MESA DE PRESIDIUM DA PALESTRA SOBRE O TEMA: COMBATE A VIOLÊNCIA DOMÉSTICA (Foto: Gaspar Dos Santos)
MESA DE PRESIDIUM DA PALESTRA SOBRE O TEMA: COMBATE A VIOLÊNCIA DOMÉSTICA (Foto: Gaspar Dos Santos)

De acordo com o responsável que falava na abertura do ciclo de palestras sobre violência doméstica promovido pelo Ministério da Família e Promoção da Mulher, enquadrada nas festividades dos 40 anos de independência de Angola, quer no fim deste ciclo ver reforçada as acções preventivas contra este fenómeno.

Disse esperar ainda ver melhorado o tratamento de informações relacionadas com a violência doméstica, a protecção das vítimas, o cadastramento dos agressores e facilitar o acesso a justiça para a protecção e integração social das vítimas.

Reiterou a necessidade de se levar ao conhecimento do cidadão por via da comunicação social em tempo real os casos de violência doméstica julgados e punidos pela lei, por forma a garantir o desencorajamento de tais práticas.

Ressaltou que em 2014 dados recolhidos dos vários centros  de aconselhamento dos ministérios da Família, Interior, Reinserção Social e ONG indicam um total de 16 mil e 237 casos de violência doméstica.

Destes casos, realçou, maior parte ocorreram no interior de residências praticados por pessoa próximas da família, o que tem dificultado a intervenção policial.

O ciclo de palestras vai decorrer ate 10 de Novembro e visa reforçar a sensibilização e capacitação da população no sentido de desencorajar a prática de violência e trabalhar na moralização das famílias e da sociedade.

Assistiram abertura entre outras individualidades, a sub-procuradora da República, Maria Teresa Manuel, o secretário de estado da educação, Narciso Benedito, o director do Centro de Imprensa Anibal de Melo, António Mascarenhas, membros da OMA e sociedade civil. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA