Open Society nega ter financiado manifestantes em Angola

Adelino de Almeida (ANGOP/Arquivo)
Adelino de Almeida (ANGOP/Arquivo)
Adelino de Almeida (ANGOP/Arquivo)

Antigo deputado do MPLA acusa a organização de ter financiado opositores com cerca de 14,5 milhões de dólares.

A Open Society Angola negou nesta quinta-feira, 27, que aquela organização não governamental internaiconal esteja a financiar manifestantes em Angola. O antigo deputado do MPLA, Adelino de Almeida acusou na terça-feira, 25, num debate na Televisão Pública de Angola, a Open Society de ter gasto até ao momento cerca de 14,5 milhões de dólares norte-americanos em campanhas políticas contra o Presidente José Eduardo dos Santos e o MPLA.

Segundo Almeida, a vinda a Luanda da eurodeputada Ana Gomes, a convite da Associação Justiça País e Democracia (AJPD), também contou com o apoio daquela fundação internacional.

“A Open Society não apoia e nunca apoiou nenhuma manifestação em Angola, e não existem provas que a Open Society tenha apoiado alguma manifestação”, garantiu o director da organização Elias Isaac.

Em declarações à VOA, Isaak pediu ao antigo deputado do MPLA que apresente provas concretas das suas acusações.

A VOA contactou também a AJPD que negou se pronunciar sobre as acusações do antigo deputado do actual partido no poder. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA