ONU qualifica de ‘inaceitável’ bombardeamento saudita no Iêmen

(AFP)
(AFP)
(AFP)

Um alto funcionário das Nações Unidas criticou severamente nesta quarta-feira a coalizão liderada pela Arábia Saudita por bombardear o porto iemenita de Hodeida, vital para chegada ao país de alimentos, remédios e combustíveis.

“Estes ataques são uma violação da lei humanitária internacional e, inaceitáveis”, disse o encarregado de Assuntos Humanitários da ONU, Stephen O’Brien, ao Conselho de Segurança.

O’Brien manifestou sua “extrema preocupação com o severo impacto” que os bombardeios poderão ter em todo o país, agravando a crise humanitária.

Os Estados Unidos, que apoiam a Arábia Saudita, recordaram que, de maneira geral, “todas as partes têm que respeitar o direito humanitário internacional”.

Segundo o porta-voz do departamento de Estado, John Kirby, “é importante recordar que o governo do Iémen pediu ajuda ao governo saudita”.

Ao menos 80% da população do Iémen, de 26 milhões de pessoas, estão desesperados por ajuda humanitária, e quase 1,5 milhão foram expulsos de suas casas desde o início da guerra, há cinco anos.

Hodeida está sob o controle dos rebeldes xiitas apoiados pelo Irão, que lideram uma ofensiva há um ano contra as forças leais ao presidente Abedrabbo Mansur Hadi, exilado na Arábia Saudita.

Em Março, a Arábia Saudita e seus sócios árabes lançaram uma ofensiva aérea para restaurar a autoridade de Hadi, e mais de 4.300 pessoas morreram nos combates, entre eles 400 crianças, segundo a ONU.

O’Brien afirmou ao Conselho que a “escala do sofrimento humano é quase incompreensível”. “Fiquei abalado com o que vi”.

As operações de assistência estão sendo prejudicadas pela falta de recursos. Apenas 18% dos 1,6 bilhão de dólares exigidos para socorrer o Iémen foram arrecadados até o momento.

É preciso alcançar uma solução política para o conflito “antes que seja muito tarde. Do contrário, não haverá nada pelo que lutar”, advertiu O’Brien. (afp.com)

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA