OMS acredita numa vitória contra o ébola ainda este ano

(ja.ao)

A epidemia de ébola, que matou milhares de pessoas na África Ocidental e provocou uma catástrofe humanitária e económica, pode ser vencida ainda este ano se forem mantidos os esforços neste sentido, afirmou ontem a chefe da Organização Mundial da Saúde (OMS).

(ja.ao)
(ja.ao)

A directora-geral da OMS, Margaret Chan, advertiu que ainda pode haver um revés, mas os três países mais duramente atingidos pela epidemia – Guiné Conacri, Libéria e Serra Leoa – podem começar 2016 totalmente livres de ébola.

Segundo Margaret Chan, se for mantida a actual intensidade de detecção de casos e a política de rastreamento de todas as pessoas que estiveram em contacto com os doentes – que implica um controlo de 21 dias para ver se foram infectados – o vírus pode ser derrotado até ao final do ano.

A epidemia de ébola deixou desde Dezembro de 2013 cerca de 11.300 mortos entre os quase 28.000 casos registados principalmente na Guiné Conacri, Serra Leoa e Libéria, segundo a OMS.

Os aproximadamente 500 habitantes de Masesbe, uma aldeia de Serra Leoa onde o vírus ébola reapareceu recentemente, comemoraram sábado o fim do isolamento imposto há 21 dias a fim de evitar a propagação da doença.

Segundo um comunicado divulgado este sábado pelas autoridades, o Presidente Ernest Bai Koroma cortou sexta-feira a faixa amarela que rodeava o povoado, colocando fim ao maior isolamento – em proporção ao número de habitantes – decretado desde o começo da epidemia.

“Nenhum morador teve resultado positivo para o ébola”, afirmou sábado uma autoridade do Ministério da Saúde, para quem não se pode “baixar a guarda até que o ébola seja erradicado”.

Nessa cidade agrícola, a cerca de 200 quilómetros da capital, foi detectado há três semanas um caso de ébola num comerciante que havia chegado da capital Freetown. A vítima não resistiu à doença e faleceu. (ja.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA