Afrika Mokili Mobimba: O rumba das dipandas africanas e o merengue da liberdade

(Foto: D.R.)
(Foto: D.R.)
(Foto: D.R.)

O rumba e o merengue já governaram o mundo. Produtos culturais resultantes de uma época revolucionária e industrial, estes dois estilos estão, indubitavelmente associados à música africana, que as estações de rádio, não se cansaram de promover ao longo dos tempos.

Os anos 50 e 60 foram decisivos para a afirmação da música africana. Saída de um contexto folclórico puro, ela evolui para outros patamares e consegue impôr-se naturalmente na emergente indústria cultural e motivar paixões à escala universal. A indústria fonográfica como símbolo de uma era, da propagação do som, através das ondas hertzianas, aproximou culturas, promoveu a identidade dos povos e trouxe consigo um sem número de elementos e considerações, em torno da capacidade humana de criar valor e riqueza.

O video que apresentamos em primeiro lugar ilustra bem o que acabamos de dizer. Trata-se um suporte de vídeo de um tema bastante conhecido nos anos 60, em que África cantava a liberdade. Papa Noel, um consagrado guitarrista congolês, com um palmarés de se lhe tirar o chapéu, fez a simbiose África-América latina, com  Africa mokili mobimba, o tema que mais juntou pessoas, tornando-se na principal bandeira da liberdade e independência. Desde a famosa Orquestra TP Ok Jazz, African Fiesta, Sorboum Africaine, a nomes mais consagrados da música africana, a canção Africa mokili mobimba fez história.

Video

No território que é hoje a República Democrática do Congo, a música ganhou estatutos, que a política não teve, moldando consciências, criando sentimentos de autenticidade e e de orgulho nacional.

Video

A indústria musical deu origem a um movimento artístico interessante, que se espalhou por todo o continente, gerando figuras de renome, como Rochereau, Dr. Nico, Vicky, Joseph Kabasele, Franco, aliás Luambo Makiadi, Sam Mangwana, etc.

Video

Por aqui se pode ver o que se produziu no continente africano, ao longo de várias décadas: uma intensa corrente de artistas de talento, alguns deles ultrapassando as suas fronteiras naturais. (portaldeangola.com)

Por: Dias dos Santos

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA