O motor da economia

8D.R.)
8D.R.)
(D.R.)

O sector da energia e águas desempenha um papel preponderante no desenvolvimento económico e social de um país.

Não se pode falar de crescimento económico sem o acesso à água potável e à energia eléctrica. A pensar nisso, o Executivo angolano tem vindo a gizar um conjunto de políticas e projectos que passam pela construção e reabilitação das principais infra-estruturas ligadas ao sector da energia e águas, para dar resposta às necessidades da população um pouco por todo o país.

É o caso do programa “Água para Todos” em curso desde 2007 e com balanço previsto para 2017, cujo objectivo é melhorar os níveis de abastecimento do precioso líquido a todos os angolanos. A execução é uma realidade nas principais capitais de províncias e municípios do país, sem descurar as comunas e bairros.

Durante o V Conselho Consultivo do Ministério da Energia e Águas que Luanda acolheu nos dias 30 e 31 de Julho, sob o lema: “Água e energia- reestruturar para melhorar e crescer”, revelou-se que cerca de 50 por cento da população angolana já beneficiam de água potável em toda a extensão do território nacional.

Para atingir a meta, o Executivo elaborou um plano que consiste na aplicação de 6 mil milhões de dólares norte -americanos no subsector das águas, dando assim lugar à construção e reabilitação de um conjunto de infra-estruturas, ligadas à exploração, tratamento, transporte e abastecimento de água potável. Dados postos a circular indicam que este plano prevê triplicar o volume de água potável a abastecer as populações.

À semelhança do subsector de águas, os investimentos na área da energia, para o mesmo período 2013-2017, em termos de produção, transporte e distribuição de energia eléctrica, não fogem à regra. Estão em curso vários projectos voltados à construção e reabilitação de infra-estruturas energéticas, para devolver a tranquilidade no fornecimento de energia eléctrica, nas capitais provinciais, sedes municipais e bairros.

Por exemplo, está em vista a aplicação de 23,6 mil milhões de dólares norte-americanos, no subsector energético durante o quinquénio 2013/2017, um valor que será aplicado de forma faseada para melhor acompanhamento dos projectos que vão dar novo curso ao fornecimento de energia eléctrica às populações. Esta acção está inserida na “Estratégia Angola-2025” de desenvolvimento de longo prazo, na qual se insere o plano de acção do sector da energia e águas.

Uma vez concluídos os planos e projectos traçados pelo Executivo angolano neste ramo que ajuda a catapultar o crescimento em todos os níveis, acredita-se que o país vai conhecer um impulso muito grande em termos de fornecimento de energia e água potável. Com estes dois recursos disponíveis na sua plenitude, os demais sectores poderão atingir um acelerado crescimento. (jornaldeeconomia.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA