Nigéria: Ataque do Boko Haram faz 13 mortos

(AFP)
(AFP)
(AFP)

Treze pessoas morreram neste domingo de madrugada durante um ataque de represália dos insurgentes islamitas do Boko Haram, segundo testemunhas em Malari, a cerca de 20 quilómetros de Maiduguri, cidade mais importante do nordeste da Nigéria.

Neste domingo às 01h00 da madrugada (00h00 GMT), “os terroristas (…) mataram 13 jovens e feriram outros 27. Também incendiaram casas e acusaram as vítimas de terem revelado aos soldados onde eles (islamitas) estavam escondidos”, contou Moha Saleh, morado do lugar.

Esse balanço coincide com o fornecido por Goni Musa, um combatente que enfrenta o Boko Haram com o exército nigeriano.

“Os islamitas chegaram pela estrada de Bama, que conduz ao bosque de Sambisa”, um de seus bastiões históricos, precisou Musa.

“Essa manhã, foram encontrados 13 cadáveres, alguns com balas nas costas, o que quer dizer que as vítimas fugiam quando os terroristas as mataram”, acrescentou Musa.

O chefe de polícia do estado de Borno, Aderemi Opadokun, confirmou o ataque.

Malari já foi alvo de vários ataques nos últimos meses, entre eles um atentado suicida realizado no começo de Julho por uma adolescente em uma mesquita, que deixou 12 mortos em pleno Ramadã (mês sagrado para os muçulmanos).

No sábado, na cidade de Gamboru, mais ao norte, houve ataques islamitas, com incêndios de casas, segundo os testemunhos de aldeias vizinhas.

Não se sabe se esses incêndios provocaram vítimas, mas, segundo Babakalli “já não restam habitantes” em Gamboru, cidade sob o controle islamita por vários meses que foi recuperada em Fevereiro pelo exército do Chade, mas que se tornou cenário de vários ataques.

Neste domingo, o exército da Nigéria anunciou ter executado ataques aéreos contra a aldeia de Bita, no nordeste do país, onde morreu “um grande número” de insurgentes do Boko Haram.

“A exército de ar nigeriano repeliu com êxito um ataque do grupo terrorista Boko Haram contra a aldeia de Bita, graças aos esforços combinados com o exército de terra”, declarou em um comunicado o porta-voz da Força Aérea, Dele Alonge, que não informou sobre eventuais vítimas civis.

A insurreição do grupo islamita Boko Haram e sua repressão por parte das forças de ordem nigerianas resultaram em mais de 15.000 mortes desde 2009. (swissinfo.ch)

afp_tickers

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA