Negociações de paz sobre Sudão do Sul são retomadas em Adis Abeba

(Foto de Zacharias Abubeker/AFP/Arquivos)
(Foto de Zacharias Abubeker/AFP/Arquivos)
(Foto de Zacharias Abubeker/AFP/Arquivos)

Dirigentes dos países do leste da África participaram neste domingo, em Adis Abeba, das negociações de paz sobre o Sudão do Sul, às quais o presidente sul-sudanês, Salva Kiir, assistirá finalmente com o objectivo de conseguir um acordo em meio a uma forte pressão internacional.

O governo do Sudão do Sul e os rebeldes tem até esta segunda-feira para firmar um acordo destinado a pôr fim a vinte meses de uma guerra civil que causou dezenas de milhares de mortes.

O chefe rebelde Riek Machar não apareceu publicamente em Adis Abeba, mas várias fontes afirmaram que estava na capital etíope há dias.

O presidente sul-sudanês, Salva Kiir, finalmente reconsiderou sua decisão inicial e decidiu assistir às negociações, segundo anunciou neste domingo seu governo.

Antes de sair de Juba, o presidente Kiir declarou à imprensa que foi “obrigado” a assistir às negociações e advertiu que um acordo de paz “que não pode ser aplicado não deve ser assinado”.

No domingo, o presidente ugandês, Yoweri Museveni, que enviou tropas ao Sudão do Sul para apoiar o presidente Kiir, se reuniu com o primeiro-ministro etíope Hailemariam Desalegn e o presidente sudanês Omar al Bashir, assim como seu homólogo queniano Uhuru Krnyatta.

A guerra civil no Sudão do Sul começou em Dezembro de 2013, na capital Juba, quando Salva Kiir, de etnia Dinka, acusou seu vice-presidente – de etnia Nuer – Riek Machar, recém destituído, de fomentar um golpe de Estado. (afp.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA