Museu de História Natural destaca biodiversidade da fauna e flora angolana

Acervo do Museu de História Natural (Foto: Angop)

O Museu Nacional de História Natural, localizado em Luanda, destaca nas suas colecções de exposições a fauna e a flora angolana, como forma de mostrar ao público a diversidade e a riqueza do meio ambiente.

Acervo do Museu de História Natural (Foto: Angop)
Acervo do Museu de História Natural (Foto: Angop)

Localizado no centro da cidade, o Museu Nacional de História Natural foi criado há mais de 60 anos e conta com as secções de biologia, geologia e ciência da terra e outras áreas.

Comporta também dois salões fundamentais de exposições permanentes, nomeadamente o salão dos mamíferos, com 37 dioramas de mamíferos, aves, répteis, o corredor dos insectos, bem como o de peixes, com 11 dioramas de peixes e outros animais marinhos, 13 dioramas de aves e uma colecção de moluscos.

Tem igualmente um auditório para conferências, com capacidade para 160 pessoas, átrio para a montagem de exposições temporárias, salão internacional de exposições, biblioteca, áreas administrativa, de investigação científica, animação cultural e museologia.

Em entrevista à Angop sobre o estado da instituição, a sua directora, Francisca da Costa, advogou que tem como aposta a criação de novas parcerias e aprofundar o intercâmbio com outras instituições de carácter técnico, científico e académico.

Francisca da Costa referiu que tem mantido relações de investigação científica com a Faculdade de Ciências, com o Instituto Nacional de Investigação Pesqueira, Instituto de Desenvolvimento Florestal, Aquário Vasco da Gama, e algumas estrangeiras, que têm dado um input para a investigação, conservação e divulgação do acervo da instituição.

Segundo a responsável, pretende ainda informatizar todos os dados museológicos, formação da colecção científica, o enriquecimento das exposições permanentes, o aumento qualitativo dos trabalhadores e maior divulgação das actividades científicas de todos os trabalhos complementares.

Francisca Costa referiu que o museu tem algum défice de pessoal qualificado para fazer face a exigência da instituição, mas disse existir um programa do Ministério da Cultura de formação superior e doutoramento dos quadros de todos os museus do país, que já está em curso, com a colocação dos primeiros licenciados e doutores nos vários domínios museológicos.

O Museu Nacional de História Natural de Angola localiza-se no Largo do Kinaxixe, na cidade de Luanda. Criado em 1938, como Museu de Angola e instalado na Fortaleza de São Miguel de Luanda, contava inicialmente com secções de etnografia, história, zoologia, botânica, geologia, economia e arte. Anexos ao museu, foram criados uma biblioteca e o arquivo histórico colonial.

Mudado em 1956 para o edifício actual, construído de raiz para albergar o museu, apresenta hoje um amplo acervo de espécies representativas da rica e variada fauna angolana. O edifício tem três andares e alberga amplos salões onde estão exemplares empalhados de mamíferos, peixes, cetáceos, insectos, répteis e aves.

Com a proclamação da Independência Nacional, o museu sofreu algumas mudanças, a começar pelo nome, passando a chamar-se de Museu Nacional de História Natural, desde Maio de 1976.

Os espaços estão decorados e ambientados de forma a tentar reproduzir o habitat das espécies. O espólio do museu inclui, também, vastas e ricas colecções de moluscos, de borboletas e de conchas, muitas do tempo em que eram usadas como moeda na costa ocidental africana. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA