Mundo enfrenta pior crise de refugiados desde a Segunda Guerra, diz Comissão Europeia

O comissário europeu Dimitris Avramopoulos (Foto de EMMANUEL DUNAND/AFP)
    O comissário europeu Dimitris Avramopoulos (Foto de EMMANUEL DUNAND/AFP)
O comissário europeu Dimitris Avramopoulos (Foto de EMMANUEL DUNAND/AFP)

A Comissão Europeia afirmou nesta sexta-feira que o mundo enfrenta “a pior crise de refugiados desde a Segunda Guerra Mundial”, e convocou a Europa, onde vários países sofrem com a chegada em massa de imigrantes, a acolhê-los de forma decente e civilizada.

A Europa “tem problemas para administrar os importantes fluxos de pessoas que buscam refúgio em nossas fronteiras”, admitiu o comissário de Imigração, Dimitris Avramopoulos, em uma entrevista colectiva em Bruxelas.

Ele recordou que a Europa está construída sobre o princípio da “solidariedade com os necessitados”.

“O que temos que fazer (…) é organizar nosso sistema para enfrentar este problema de forma decente, civilizada e europeia”, acrescentou Avramopoulos.

O comissário se reuniu na quinta-feira em Atenas com os ministros do Interior e da Imigração e com as autoridades da ilha de Kos, no mar Egeu, que regista um grande fluxo de imigrantes do Afeganistão e da Síria.

Na ilha, a gestão das chegadas e a falta de instalações provocou tensões nos últimos dias.

O funcionário europeu citou como casos “urgentes” Grécia, Itália e Hungria.

A Comissão Europeia apresentou em Maio uma série de propostas aos Estados membros, mas estes se mostraram resistentes a implementar medidas para aliviar os países fronteiriços e a distribuir os imigrantes, em cotas, entre os diferentes países.

A Grécia, país de Avramopoulos, recebeu 50.000 demandantes de asilo em Julho, contra 6.000 pessoas no mesmo mês do ano anterior, destacou o comissário.

O país poderá enviar 16.000 refugiados a outros países, em virtude de um acordo anunciado em Julho.

O comissário tem a intenção de viajar em breve à Turquia, ponto de partida de muitos migrantes que chegam às centenas às costas gregas.

Avramopoulos também visitará “nos próximos dias” Calais (norte da França), onde centenas de migrantes que sonham em chegar ao Reino Unido tentam a cada dia entrar no Eurotúnel. (afp.com)

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA