Moradores das centralidades de Luanda destacam criação do corredor rodoviário

Passagem Superior na Estaca 5 600-Prespectiva (Foto: Foto Cedida a Angop)
Passagem Superior na Estaca 5 600-Prespectiva (Foto: Foto Cedida a Angop)
Passagem Superior na Estaca 5 600-Prespectiva (Foto: Foto Cedida a Angop)

Os moradores das centralidades do Kilamba e Zango, na província de Luanda, manifestaram-se hoje (sexta-feira) satisfeitos com a construção do primeiro dos sete corredores rodoviários Norte/sul, destinado ao transporte público colectivo.

Trata-se do Bus Rapid Transit (BRT), um sistema de transporte sem interferências de outras vias, que faz parte do corredor Norte/Sul e que, segundo dados do Ministério da Construção, vai ligar entre os municípios de Belas e Viana.

A sua edificação em curso, desde Outubro de 2014, encontra-se na fase de criação de viaduto na zona do Bairro da Sapu.

Por baixo do viaduto será feita uma rotunda para facilitar a circulação entre o estádio 11 de Novembro/Sapu e o Bairro da Estalagem (Viana).

Interrogados pela Angop, alguns moradores da centralidade afirmaram que a medida, além de representar um marco na história da capital é também de levado impacto social, uma vez que vai contribuir para melhoria da circulação rodoviária e na imagem da cidade.

“É com muita satisfação que estamos acompanhar a edificação deste primeiro corredor de transporte público colectivo, o que demonstra o empenho do Executivo de melhorar o sistema rodoviário na capital e no resto do país”, disse Alfredo de Carvalho, morador do Kilamba.

Para o engenheiro Filomeno Ugo Antunes, igualmente da Centralidade do Kilamba, o projecto representa uma grande viragem no desenvolvimento rodoviário da urbe, uma vez que vai contribuir na melhoria do tráfego rodoviário e no aspecto urbanístico da capital.

“Luanda, a semelhanças de outras cidades de África enfrenta graves problemas no sector rodoviário e a criação destes corredores vai melhor em grande medida este quadro”, disse.

O morador da Centralidade do Zango, João Gouveia, fez saber que a capital do país é hoje completamente diferente, fruto de surgimento de novas infra-estruturas, que estão a contribuir para o bem estar da população. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA