Montepio vendeu 30% do Finibanco Angola

(Foto: D.R.)
(Foto: D.R.)
(Foto: D.R.)

O banco português vendido uma posição de 30% no banco angolano, mas ficou com uma posição de controlo. Já o empresário Mário Palhares terá aumentado a participação para 49%.

O Montepio diminuiu a sua posição no Finibanco Angola, como noticiou a TVI esta quarta-feira, 5 de Agosto, numa decisão tomada em Março. A caixa económica diz que a decisão já estava decidida.

“O Grupo Montepio detém desde o início da operação, 60% Finibanco Angola, fruto da OPA ao Finibanco Holding, SA”, indica fonte oficial do banco, em comunicado, reagindo à notícia da TVI.

A questão é que, em 2013, o Finibanco Angola realizou um aumento de capital, que levou o Montepio a ultrapassar a posição de 60% para 80%. Isto porque os accionistas minoritários não acompanharam na altura.

“Na impossibilidade de os minoritários angolanos acompanharem o aumento de capital, é acordado que este incremento de posição do Montepio seria mais tarde reduzido para uma participação alinhada com o que o resto da banca portuguesa detém em Angola, ou seja o máximo de 51%”, acrescenta a mesma fonte. O que se veio a verificar em 2015.

É essa a razão que justifica a diminuição em torno de 30% do Montepio no Finibanco Angola, explica o banco. A TVI adianta que foi o empresário angolano Mário Palhares que adquiriu a posição, que passa a ter 49% da instituição.

Mário Palhares já foi vice-governador do Banco de Angola e lidera actualmente o Banco de Negócios Internacional. É também sócio da empresa que comprou o Efisa.

Segundo a TVI, esta operação foi fechada há poucos dias em Luanda, facto negado pelo Montepio. (jornaldenegocios.pt)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA