Moçambique: Histórico jardim Tunduro reabre em Setembro

VISTA PARCIAL DA CIDADE DE MAPUTO EM MOÇAMBIQUE (Foto: Angop)

Maputo – O Tunduro, o maior jardim botânico de Moçambique, localizado em Maputo, vai reabrir ao público em Setembro deste ano, após cerca de dois anos de obras, afirmou hoje, quarta-feira, o vereador das actividades económicas da capital, citado pelo diário Notícias.

VISTA PARCIAL DA CIDADE DE MAPUTO EM MOÇAMBIQUE (Foto: Angop)
VISTA PARCIAL DA CIDADE DE MAPUTO EM MOÇAMBIQUE (Foto: Angop)

Segundo João Munguambe, os trabalhos em curso compreendem a construção de mais uma estufa e reabilitação da estufa antiga, melhoria da vedação e arruamentos, bem como construção de um sistema de saneamento, rega e colocação de novos bancos.

As obras incluem ainda a reabilitação dos actuais edifícios e construção de uma área de restauração, incluindo restaurantes e lojas.

“As obras de construção do restaurante e lojas já foram adjudicadas e esperamos que até finais deste ano os trabalhos se iniciem.

A construção desses empreendimentos vai ser a mais rápida e terá a duração de quatro meses”, afirmou o vereador das actividades económicas de Maputo.

Orçadas em 165 milhões de meticais (mais de 3,5 milhões de euros), as obras de reabilitação e expansão do Jardim Tunduro iniciaram-se em Outubro de 2013 e deviam ter sido concluídas em Outubro do ano passado, mas acabaram alargadas devido a atrasos.

O Jardim Tunduro foi construído nos anos de 1880 no então Lourenço Marques, hoje Maputo, e é considerado “o pulmão verde” da capital moçambicana, devido à abundância

e diversidade das espécies botânicas presentes no local.

Antes de Moçambique ficar independente de Portugal, em 25 de Junho de 1975, o local era conhecido como Jardim Municipal Vasco da Gama.

O actual nome foi lhe  em evocação ao Centro de Educação de Tunduro, no sul da Tanzânia, onde funcionou a principal escola da guerrilha da Frelimo, partido no poder e que proclamou a independência do país. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA