Mau tempo obriga suspensão de voos domésticos em Cabo Verde

Bandeira de Cabo Verde (DR)

A transportadora aérea cabo-verdiana (TACV) anunciou segunda-feira a suspensão dos seus voos domésticos, devido às más condições atmosféricas registadas no arquipélago nos últimos dias.

Bandeira de Cabo Verde (DR)
Bandeira de Cabo Verde (DR)

Um comunicado da transportadora esclarece que não estão reunidas as condições mínimas de operacionalidade, pelo que decidiu manter os aviões em terra.

“Além disso, com os últimos três dias de mau tempo e chuvas torrenciais, temos aviões e tripulações retidos em várias ilhas”, acrescenta o referido comunicado.

A TACV reconhece que a suspensão dos voos domésticos tem um “impacto negativo” na operação internacional, mas  garante que está a acompanhar a situação para que os passageiros viagem com segurança.

A companhia aérea cabo-verdiana não avança uma previsão para a normalização dos voos, mas promete retomar a operação interilhas quando as condições atmosféricas o permitirem.

Entretanto, o Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica (INMG) previu, no mesmo dia, a continuidade das precipitações até esta terça-feira, depois de um fim de semana chuvoso nas ilhas do sul do arquipélago (Sotavento).

“A previsão para as ilhas de Sotavento é de muita chuva, acompanhada de trovoadas e muita nebulosidade. Na parte ocidental haverá vento moderado, com visibilidade inferior a cinco mil metros durante a precipitação”, adiantou à imprensa a meteorologista de serviço no INMG.

A mesma fonte anunciou que as chuvas deviam chegar também à região norte do arquipélago, Barlavento, com as previsões a apontarem para chuvas no início da tarde e durante toda a noite, com vento moderado para as ilhas de Santo Antão, São Vicente, Santa Luzia, São Nicolau, Sal e Boa Vista.

As chuvas deveriam continuar até ao início desta terça-feira, uma vez que, de acordo com a meteorologista, “a onda tropical está a mover-se para oeste e ao que tudo indica amanhã a chuva poderá parar”.

A chuva, que já tinha bafejado algumas ilhas de Cabo Verde, a 19 de agosto corrente, teve continuidade durante a madrugada de 22, já com alguma intensidade, sobretudo, em Santiago e no Fogo, duas das ilhas com maiores potencialidades agrícolas no arquipélago.

Essas primeiras precipitações mais significativas, que chegaram com algum atraso e  depois de dias de intenso calor, trouxe novos alentos aos homens do campo que passaram a acreditar num bom ano agrícola, caso as chuvas tiverem continuidade nos próximos tempos. (panapress.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA