Mali: ONU decreta “zona de segurança” ao redor de Kidal

A bandeira da ONU (Foto: UN Photo/John Isaac)

Bamako – A Missão da ONU no Mali (Minusma) decretará a partir de terça- feira uma “zona de segurança” ao redor da cidade de Kidal (norte), em razão dos combates entre um grupo armado pro-governamental e a rebelião de predominância tuaregue, que provocou várias mortes nesta segunda-feira.

A bandeira da ONU (Foto: UN Photo/John Isaac)
A bandeira da ONU (Foto: UN Photo/John Isaac)

Este foi o terceiro dia de violência entre a Coordenadora de Movimentos do Azawad (CMA, rebelião) e o grupo armado de autodefesa tuaregue Imghad e aliados (Gatia, pró-Bamako) nos arredores de Kidal, reduto da CMA.

Os confrontos aconteceram em Anefis, cerca de 120 quilómetros a sudoeste de Kidal, e provocaram “pelo menos dez mortos e numerosos feridos”, segundo uma força de segurança no interior da Minusma.

Um responsável do Gatia, Fahad Ag Almahmud, assegurou que o seu movimento matou “15 pessoas, incluídos chefes militares, e acrescentou a tomada de Anefis” no campo adversário. A CMA confirmou os combates, sem dar o balanço.

Em comunicado, “a Minusma reitera sua firme condenação desses confrontos armados entre os grupos desde 15 de Agosto passado, incluindo a tomada hoje (segunda-feira) de Anefis por elementos da plataforma pró-Bamako, entre os quais, Gatia.

“Para frear qualquer eventualidade de uma extensão dos combates que poderão afectar a população”, a Minusma anunciou em comunicado uma série de medidas, “entre as quais estabelecer uma zona de segurança de 20 quilómetros ao redor da cidade de Kidal, que entrará em vigor a partir de hoje, 18 de Agosto às 08H00 (horário local,) e continuará até segunda ordem”, afirmou. (portalangop.co.ao)

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA