Jovens da capital do país recebem bolsas de estudo

(ja.co)

A embaixadora dos Estados Unidos, Helen La Lime, procedeu, ontem, em Luanda, à abertura oficial do curso de inglês oferecido a 25 jovens que frequentam a Fundação Arte e Cultura.

(ja.co)
(ja.co)

O curso tem a duração de dois anos e integra o projecto de bolsas de estudo concedidas pela Embaixada dos Estados Unidos, através do programa “American English Access Angola Microscholarship”.

Em declarações ao Jornal de Angola, a diplomata norte-americana informou que o programa existe em todas as embaixadas dos Estados Unidos no mundo e visa oferecer a língua inglesa como uma ferramenta para que as pessoas de famílias de baixo rendimento atinjam altos níveis de desenvolvimento.

A embaixadora afirmou que, com a língua inglesa, “as pessoas têm fácil acesso ao trabalho e melhores ideias para construir o país”. A diplomata disse  que o curso vai permitir divulgar a cultura do seu país, pois os formandso vão contar com o apoio de funcionários da Embaixada dos Estados Unidos em Angola. Entre os requisitos para a concessão da bolsa, os interessados devem ter entre 13 e 20 anos e deve haver equilíbrio de género nas turmas formadas.

Os contemplados têm cinco horas semanais de aulas, além de actividades extracurriculares, com o objectivo de complementarem o curso.

No acto de abertura, cada um dos alunos foi contemplado  com um diploma, que simboliza o usufruto da bolsa atribuída pela Embaixada dos Estados Unidos, que assegura o subsídio de professor, material didáctico e promove actividades especiais para o reforço dos temas estudos.

As aulas são ministradas em horário oposto às actividades escolares dos formandos. Para a directora da Fundação Arte e Cultura, Naama Margalit, a bolsa oferecida pela Embaixada dos Estados Unidos é bastante significativa para a instituição que dirige, bem como uma oportunidade para os jovens perspectivarem um futuro melhor no que diz respeito à formação. (ja.co)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA