Iraque: Reino Unido prolonga missão militar contra o ISIL liderada por uma mulher (Vídeo)

(euronews.com)
(euronews.com)
(euronews.com)

O Reino Unido vai prolongar por mais um ano que o previsto a missão no Iraque dos oito jatos Tornado do Esquadrão 12, o primeiro ao serviço de Sua Majestade a ser liderado por uma mulher. A Força Aérea britânica, conhecida como RAF, integra a coligação internacional que está a combater desde o ano passado o grupo autoproclamado Estado Islâmico (ISIL, na sigla inglesa).

O prolongamento da missão foi confirmada em Bagdade pelo secretário da Defesa britânico, Michael Fallon: “A minha visita aqui tem por objetivo reafirmar o apoio do Reino Unido ao Iraque. Vamos asumir grandes medidas para reforçar a nossa ajuda no treino das forças iraquianas que operam no terreno e também dar formação no desarmamento de bombas, o maior problema que se tem colocado às forças iraquianas.”

O Esquadrão 12 , o primeiro a ser liderado por uma mulher, a comandante de asa Nikki Thomas, conta no currículo, só no Iraque, com mais de 1100 missões, incluindo 250 bombardeamentos, a sua especialidade, e centenas de operações de vigilância sobre as zonas controladas pelo ISIL.

Quem é a comandante de asa Nikki Thomas?

Nikki Thomas é uma figura emblemática na força aérea britânica. Formada em engenharia aeronáutica pela Universidade Loughborough, entrou para a força aérea britânica em 2000 e tem subido na hierarquia.

Juntamente com a tenente Juliette Fleming, fez parte da primeira tripulação feminina a pilotar jatos de combate, no caso um Tornado GR4, em 2009, tendo colecionado inúmeras horas de voo em missões de combate no Afeganistão e sido a primeira mulher na equipa Tornado GR4 a qualificar-se como instrutora de armamento.

Em 2010, Nikki Thomas afatou-se dos “cockpits” e integrou os quadros do Ministério da Defesa. Conseguiu o diploma de Mestre de Artes (MA) em estudos da Defesa antes de começar a ser treinada para o papel entretanto assumido.

Em janeiro deste ano, com 36 anos e após treino árduo para prevenir uma eventual captura, tornou-se na primeira mulher a liderar um esquadrão de aviões a jato da RAF, tendo a seu cargo cerca de 250 subalternos, incluindo 30 dos melhores pilotos de caças britânicos. O Esquadrão 12 integrou a “Operação Shader”.

Esta semana, Niki ficou a saber que vai manter-se, curiosamente, mais um ano do que previsto na luta contra o grupo Estado Islâmico, uma organização “jihadista” que tem raptado e feito de muitas mulheres meras escravas sexuais. (euronews.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA