Igrejas congregadas na UIESA continuarão com mesmas denominações

Apóstolo Elias Pedro, Coordenador da UIESA (Foto: Lucas Neto)
Apóstolo Elias Pedro, Coordenador da UIESA (Foto: Lucas Neto)
Apóstolo Elias Pedro, Coordenador da UIESA (Foto: Lucas Neto)

As igrejas congregadas na plataforma ecuménica da União das Igrejas de Espírito Santo em Angola (UIESA) continuarão a ter as suas denominações no espírito do lema (Unidos pela Mesma Causa) e a adesão a referida organização obedece o critério voluntário mediante carta de adesão.

Segundo o coordenador da UIESA, apóstolo Elias Pedro, que falava nesta segunda-feira, em conferência de imprensa, na sede da referida plataforma, na capital do país, “as igrejas para aderirem a plataforma UIESA, devem apresentar a esta, uma declaração para o efeito, elaborada após assembleia da Igreja onde será tomada a decisão voluntária de adesão. E uma reunião de líderes das Igrejas filiadas na UIESA será organizada na data mais breve, para o culto de acção de graças que terá lugar no dia 5 de Setembro, no Estádio Nacional da Cidadela”.

“O culto terá como objectivo, reconhecimento do Executivo Angolano na pessoa do Presidente da República, José Eduardo dos Santos, para apresentarmos os nossos agradecimentos, pela compreensão e apoio demonstrados no tratamento dos assuntos da igreja, sobretudo da UIESA”, frisou.

O apóstolo Elias Pedro explicou que o trabalho empreendido pela Comissão Nacional da UIESA alcançou os resultados positivos tendo permitido a reabertura de várias igrejas filiadas, que foram encerradas em várias províncias do País.

Revelou que mais de duzentas igrejas ilegais já se juntaram a UIESA.

De acordo com apóstolo Elias Pedro, é objectivo do Governo fazer com que as denominações religiosas promovam valores que concorram para o reforço da preservação da paz, da harmonia e da coesão social.

Por isso, considerou fundamental harmonizar o regime jurídico sobre a liberdade de religião e crença, em conformidade com a Constituição da República, com as convenções e tratados internacionais, de modo que se possa proteger a liberdade de crença dos cidadãos, regular o exercício da actividade religiosa e definir o regime de constituição, modificação e extinção de natureza religiosa.

A UIESA foi fundada em 1989 pelo presidente da referida plataforma, bispo Manuel Inocêncio de Sousa. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA