Hungria poderá beneficiar de maior apoio europeu para fazer frente a vaga migratória

(euronews.com)
(euronews.com)
(euronews.com)

Confrontada com um afluxo crescente de migrantes e de refugiados, a Hungria pode vir a ser considerada um Estado-membro da “linha da frente”, como Itália, Grécia ou Malta. Na prática, o estatuto poderá representar a canalização de mais fundos europeus, que o país reclama, e um maior apoio logístico.

Só esta terça-feira chegaram à Hungria mais de duas mil pessoas, vindas da Sérvia. Um número recorde.

“Constatamos que o número de migrantes que chega à Hungria através dos balcãs é cada vez mais impressionante. Por isso, é possível que a Hungria se transforme em um Estado-membro da linha da frente. É um país afetado pela pressão migratória e, por isso, necessita da nossa ajuda”, explicou Natasha Bertaud, porta-voz da Comissão Europeia.

Só este ano, a Hungria já registou mais de 100 mil pedidos de asilo, mais do dobro do total do ano passado.

Os migrantes e refugiados tentam chegar ao país antes de estar concluída a construção de uma barreira de arame farpado, de 3,5 metros de altura, na fronteira com a Sérvia, destinada a estancar a imigração clandestina. (euronews.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA