Huambo: Produção de energia eléctrica aquém de satisfazer a demanda

Abastecimento de energia eléctrica (Foto: Angop)

Huambo – A actual capacidade de produção de energia eléctrica destinada à cidade do Huambo e arredores está aquém de satisfazer a demanda dos consumidores, tendo em conta o crescimento urbanístico que se verifica.

Abastecimento de energia eléctrica (Foto: Angop)
Abastecimento de energia eléctrica (Foto: Angop)

A afirmação é do director da Energia e Águas na província do Huambo, Simão Canda, ao assumir hoje, quarta-feira, serem necessários, pelo menos, mais 30 megawatts, para juntarem-se aos cerca de 29 que são produzidos pela barragem hidro-eléctrica do Ngove e pela central térmica do Benfica.

Confirmou haver um projecto para suprir este défice, através do aumento da capacidade de potência, sendo que o mesmo será executado em duas fases, correspondendo a instalação de 15 megawatts em cada uma das etapas de execução do projecto.

Simão Canda explicou que o primeiro passo para o efeito já foi dado e consistiu na identificação da zona de instalação da potência, no bairro Benfica, arredores da cidade do Huambo, capital da província.

Disse que os 30 megawatts que se preveem instalar, em breve, serão distribuídos em quatro subestações eléctricas, nos bairros Cambiote, R21, zona industrial da Cuca e Camussamba, sendo que neste último será montado o centro de escoamento de toda a produção eléctrica para posterior expansão.

O director da Energia e Águas na província do Huambo informou terem sido identificados, até ao momento, 15 bairros na periferia da zona urbana que serão priorizados tão logo seja aumentada a potência de produção.

Trata-se do Calombringo, Calundo, Cachindombe, São Bento, Cacilhas, Cardoso, São José, Sandangoti, Sassonde II, Fátima, Macolocolo, Calondeia, Calute, Casseque III e Filadelfia.

Sobre a energia produzida na barragem hidroeléctrica do Ngove, inaugurada em 2012, Simão Canda esclareceu que dos 24 megawatts que a cidade do Huambo e arredores recebe, cinco destinam-se à cidade do Cuíto, capital da província do Bié, e quatro são para a cidade da Caála, capital do município onde está a barragem.

Aos 15 megawatts provenientes desta barragem, localizada 119 quilómetros a sul da cidade do Huambo, juntam-se 13,2 que são fornecidos pela central térmica instalada no bairro Benfica. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA