Guiné-Bissau: Partidários do primeiro-ministro destituído em Guiné-Bissau voltam a manifestar-se

Bandeira De Guiné-Bissau (D.R)

Bissau – Cerca de mil pessoas manifestaram-se pacificamente segunda-feira, na Guiné-bissau para exigir o retorno ao cargo do primeiro-ministro destituído, enquanto este país, uma ex-colónia portuguesa, está a cinco dias sem governo.

Bandeira De Guiné-Bissau (D.R)
Bandeira De Guiné-Bissau (D.R)

Para obter a restituição de Domingos Simões Pereira, apelidado “DSP”, destituído em 12 de Agosto pelo chefe de Estado, José Mário Vaz, “Jomav”, militantes do Partido Africano para a Independência da Guiné-bissau e Cabo Verde (PAIGC) convocaram uma passeata para a tarde desta segunda-feira na capital.

Devido às fortes chuvas que caíram por horas, a marcha transformou-se numa concentração de mil pessoas, entre elas o próprio Pereira, em frente à sede do PAIGC, no centro da capital, constatou a Agência France Presse.

No sábado passado, o PAIGC, partido do governo no país, voltou a propor Domingos Simões Pereira como primeiro-ministro, três dias depois de o presidente, José Mário Vaz, o destituir, anunciou uma fonte do movimento.

“Entregamos na sexta-feira a proposta do nosso partido sobre o futuro primeiro-ministro. É o nome do presidente do partido, Domingo Simões Pereira”, declarou a segunda vice- presidente do PAIGC, Adja Satu Camara.

Na quarta-feira, Vaz dissolveu o governo que Pereira tinha formado em Julho de 2014, devido a desentendimentos na cúpula de Estado.

Os dois políticos são membros do PAIGC, partido que liderou a luta pela independência, obtida em 1974. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA