GPL intensifica trabalhos nas vias para melhor mobilidade rodoviária

Graciano Domingos - Governador provincial de Luanda (Foto: Manuel Adão Zamba)
Graciano Domingos - Governador provincial de Luanda (Foto: Manuel Adão Zamba)
Graciano Domingos – Governador provincial de Luanda (Foto: Manuel Adão Zamba)

O Governo da Provincial de Luanda (GPL) vai intensificar os trabalhos paliativos nas ruas secundárias e terciárias, como operações tapa buraco, terraplanagem e remoção de lixo das vias, para melhorar a mobilidade rodoviária e oferecer várias alternativas de circulação aos automobilistas.

O anúncio foi feito hoje, quarta-feira, à imprensa na capital do país, pelo governador de Luanda, Graciano Domingo, no final de uma visita de constatação aos distritos urbanos do Kilamba Kiaxi e da Maianga.

O GPL, ressaltou, pretende manter esta filosofia em todos os municípios de Luanda, enquanto não acontecem as obras mais estruturadas, que exigem grandes trabalhos de engenharia e consequentemente mais recursos financeiros.

Segundo o responsável, este trabalho paliativo quando for concluído, Luanda terá melhor mobilidade e haverá várias alternativas para os automobilistas.

Enalteceu o apoio dos empresários que voluntariamente participam neste processo, atendendo que Luanda é pertença de todos angolanos.

“O país é nosso, a cidade de Luanda é nossa e cada um deve contribuir para termos uma vida mais folgada, alegre e produtiva, através de melhor circulação”, acrescentou.

Sobre o que constatou no terreno, o governante disse haver trabalho e espírito de iniciativa, embora, reconheceu que se deve fazer ainda um esforço “gigantesco” para se melhorar muitas questões nos distritos visitados.

“Não devemos colocar a face entre as mãos e chorar. Preferimos enfrentar os problemas com trabalho e suor e se fizermos isto com rigor poderemos alcançar resultados e mesmo aqueles que criticam vão depois se juntar a nós”, encorajou.

Manifestou ainda a sua satisfação pelo trabalho das administrações dos distritos do Kilamba Kiaxi e da Maianga, tendo frisado que “há trabalho e deve-se valorizar os seus executores”. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA