EUA podem adoptar medidas adicionais para defender aliados na Síria

O porta-voz do governo americano, Josh Earnest, durante entrevista coletiva em Washington, DC, no dia 9 de julho de 2015 (Foto de Saul Loeb/AFP/Arquivos)

A Casa Branca advertiu nesta segunda-feira que está disposta a tomar medidas adicionais para defender os combatentes aliados dos Estados Unidos na Síria, e alertou ao governo de Bashar al-Assad que não deve obstruir suas acções.

O porta-voz do governo americano, Josh Earnest, durante entrevista coletiva em Washington, DC, no dia 9 de julho de 2015 (Foto de Saul Loeb/AFP/Arquivos)
O porta-voz do governo americano, Josh Earnest, durante entrevista coletiva em Washington, DC, no dia 9 de julho de 2015 (Foto de Saul Loeb/AFP/Arquivos)

O porta-voz do governo, Josh Earnest, afirmou que a Síria não deve interferir com as operações das forças treinadas pelos Estados Unidos.

Segundo ele, seu país poderá tomar medidas adicionais para defendê-las, elevando a possibilidade de realizar ataques contra as forças do regime sírio.

Earnest indicou que até agora o presidente sírio não tentou interromper as acções dos grupos apoiados pelos Estados Unidos, incluindo uma unidade de 54 rebeldes que opera na província de Aleppo desde meados de Julho, a chamada Divisão 30.

Mas essas tropas foram atacadas pela Frente Al-Nusra, ramo sírio da Al-Qaeda, o que foi respondido por ataques aéreos americanos.

O Observatório Sírio para os Direitos Humanos (OSDH) declarou, entretanto, que oito dos 54 rebeldes haviam sido sequestrados na quarta-feira à noite pela Al-Nusra, que logo reivindicou a operação.

No domingo, o grupo jihadista divulgou um vídeo que supostamente mostra a captura dos rebeldes sírios treinados pelos Estados Unidos e acusados de “colaboração com o Ocidente”.
Pelo menos cinco homens marcham um atrás do outro em um campo com as mãos atrás da cabeça, escoltados por um homem armado e outro encapuçado. (afp.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA