EUA intensificam esforços para cumprir meta de Obama de fechar Guantánamo

(REUTERS)
(REUTERS)
(REUTERS)

Os Estados Unidos reafirmaram o compromisso assumido por uma dezena de países para aceitar quase a metade dos 52 presos de Guantánamo que estão prontos para serem transferidos, disseram nesta sexta-feira funcionários do país norte-americano, que tenta acelerar seus esforços para fechar a prisão militar.

Contudo, as transferências exigem a assinatura definitiva do secretário de Defesa, Ash Carter, o que poderá atrasar o processo, apesar das tentativas do presidente norte-americano, Barack Obama, de esvaziar a prisão antes de terminar seu mandato, em 2017.

Enquanto a Casa Branca redige um plano mais amplo para fechar a instalação, o gabinete do enviado do Departamento de Estado a Guantánamo concluiu acordos com vários governos estrangeiros e está em negociações avançadas com outros, disseram à Reuters autoridades de alto escalão.

As fontes afirmaram que as transferências da prisão localizada na base naval norte-americana na Baía de Guantánamo, em Cuba, poderão ocorrer no fim do ano, reduzindo a actual ocupação de 116 presos.

Obama enfrentou a oposição dos republicanos, que aprovaram leis para impedir qualquer tentativa de transferir presos de Guantánamo a prisões nos Estados Unidos. A Casa Branca diz que está elaborando uma proposta detalhada que apresentará em breve a parlamentares a fim de fechar a prisão. (swissinfo.ch)

por Matt Spetalnick

reuters_tickers

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA