EUA: Comentário sexista faz Partido Republicano se voltar contra Trump

(Foto de FREDERIC J. BROWN/AFP/Arquivos)
(Foto de FREDERIC J. BROWN/AFP/Arquivos)
(Foto de FREDERIC J. BROWN/AFP/Arquivos)

Organizadores de um evento do Partido Republicano retiraram neste sábado o convite ao seu favorito na indicação de seu candidato à Casa Branca, Donald Trump, depois que o polémico bilionário sugeriu que uma moderadora do debate presidencial na quinta-feira foi severa com ele porque estaria menstruada.

O comentário rude gerou uma nova onda de críticas contra Trump, que lidera as pesquisas de opinião à indicação republicana para as eleições presidenciais do ano que vem.

Trump sofreu com o fogo amigo depois de fazer uma acusação particularmente grosseira contra a jornalista da Fox News, Megyn Kelly – uma das moderadoras no debate presidencial republicano de quinta-feira -, que segundo ele, teria lhe dirigido um tratamento muito duro.

O bilionário já tinha criticado os moderadores da emissora por fazer perguntas “injustas” contra ele depois que Kelly mencionou seu uso de linguagem depreciativa com relação às mulheres em seus posts no Twitter. Kelly perguntou se esta era uma postura condizente com um homem que aspira a se tornar presidente dos Estados Unidos.

Trump elevou o tom na noite de sexta-feira, quando disse à emissora CNN que Kelly “é apenas alguém por quem eu não tinha muito respeito”.

“Podíamos ver sangue saindo de seus olhos, sangue saindo do que quer que fosse dela”, prosseguiu.

Estas declarações levaram os organizadores de um importante evento republicano em Atlanta – o RedState Gathering – a revogar um convite para que o candidato discursasse no sábado.

“Por mais que eu goste pessoalmente de Donald Trump, seu comentário sobre Megyn Kelly na CNN foi longe demais para mim”, disse Erick Erickson, um importante membro do partido, que foi o anfitrião do evento no qual Trump deveria ter discursado.

Enquanto isso, o comité de campanha de Trump informou a vários meios de comunicação americanos neste sábado que o candidato demitiu seu alto conselheiro político Roger Stone, quando a polémica cresceu.

“Roger queria usar a campanha para fazer propaganda pessoal e o senhor Trump quer manter o foco da campanha em como Fazer a América ser Grande Novamente”, disse um porta-voz do comité à CNN.

No entanto, Stone usou o Twitter para dar sua versão dos fatos.

“Lamento, @realDonaldTrump não me demitiu – eu demiti Trump”, escreveu.

Os outros candidatos, enquanto isso, simplesmente sentiram-se muito felizes em poder tirar vantagem política da polémica.

Carly Fiorina, a única candidata mulher à Presidência pelo Partido Republicano, tuitou: “senhor Trump: Não. Há. Desculpas”.

Mais tarde, ela acrescentou: “Estou com @megynkelly”.

O governador do Wisconsin e candidato republicano à presidência, Scott Walker, emendou: “concordo com @CarlyFiorina, não há desculpas para os comentários de Trump. Estou com @MegynKelly”.

‘Tolos politicamente correctos’

Mais tarde neste sábado, Trump tentou voltar atrás nos comentários que fez sobre Kelly, afirmando que ele não se referia à parte do corpo que a maioria das pessoas pensou quando ele falou de sangue.

“A respeito de Megyn Kelly, cito: ‘podíamos ver sangue saindo de seus olhos, sangue saindo do que quer que fosse dela’ (NARIZ)”, explicou Trump no Twitter.

“Tantos tolos ‘politicamente correctos’ no nosso país. Todos temos que voltar ao trabalho e parar de perder tempo e energia com coisas sem sentido!”, desconversou também no Twitter.

Um comunicado do comité de campanha de Trump, amplamente citado pela imprensa americana, também insistiu em que Trump referia-se ao nariz de Kelly e que “só um desviado pensaria em outra coisa”.

O comunicado também se referiu a Erickson como “um perdedor absoluto”.

Aparentemente, como parte de um esforço para virar a maré, Trump tem previsto aparecer no domingo na emissora ABC em um dos programas mais importantes da TV americana, “This Week”.

Grande audiência

Um número impressionante de 24 milhões de telespectadores ligaram a TV no canal Fox News para assistir ao debate e Trump foi claramente um factor importante.

Em um post agressivo no Twitter, publicado na sexta-feira, ele se dirigiu à emissora.

“A @FoxNews devia se envergonhar. Eu dei a vocês a maior audiência em debates de sua história e vocês dizem nada além de coisas ruins”, tuitou Trump, que tem 3,5 milhões de seguidores.

Os republicanos dizem que pretendem organizar mais oito debates, enquanto o partido filtra seus candidatos e faz a escolha por aquele que provavelmente irá disputar a Presidência com a candidata democrata, Hillary Clinton.

Enquanto isso, Trump ficou de fora do evento RedState em Atlanta, que inclui a participação dos aspirantes republicanos Fiorina, Huckabee, Walker, Chris Christie, Rick Perry, Bobby Jindal, Marco Rubio, Ted Cruz e Jeb Bush.

“@redstate, sinto falta de todos vocês e obrigado por todo o seu apoio. O politicamente correcto está matando o nosso país”, tuitou Trump. (afp.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA