ENDE perde 3 milhões por mês

(Foto: D.R.)
(Foto: D.R.)
(Foto: D.R.)

A Empresa de Distribuição de Electricidade – ENDE estima que perde, mensalmente, três milhões de dólares em consequência de consumos não registados.
Esse valor, estimado pela empresa, é devido às dificuldades de se chegar aos devedores por falta de toponímia organizada, embora nos últimos tempos essa barreira esteja a ser vencida com a entrada dos funcionários nos bairros.

Segundo o porta-voz da ENDE, Carlos Gil, a pensar na diminuição de custos e na racionalização da energia eléctrica, a EDEL, antecessora da ENDE, iniciou, em 2011, a instalação de contadores pré-pagos, um sistema que “veio fortalecer e trazer maior exigência comercial”. “Hoje, temos um leque de grandes devedores e a privação da energia é um dos recursos que a empresa usa para persuadir os clientes devedores a pagar”, explicou Carlos Gil, para quem essa medida é aplicável quer a clientes particulares quer a empresas.

Um milhão 
de contadores

O Governo pretende elevar para um milhão o número de clientes com contadores do sistema pré-pago, até 2017, um investimento de 432 milhões de dólares, que envolve a construção de uma fábrica deste equipamento em Angola que deve abrir dentro de seis meses.
O projecto de instalação de contadores envolve 12 províncias e já permitiu a instalação de cerca de 172 mil contadores de electricidade pré-pagos e a melhorar as receitas da empresa. (novagazeta.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA